quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Trempe brasileira no curso da Uefa

    Pierluigi Collina diretor de arbitragem da Uefa comandará o seminário em Nyon

Após a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, o diretor de departamento de arbitragem da Fifa  Massimo Busacca, sugeriu aos dirigentes da Conmebol, a celebração de um intercâmbio entre a entidade Sul-Americana e a Uefa no setor da arbitragem. A sugestão foi no sentido da troca de informações e participação de árbitros e assistentes do Velho Continente em conjunto com os apitos da América do Sul, nos diferentes cursos de capacitação continuada ao longo da temporada que as duas entidades irão realizar. 

Após ser analisada por próceres da arbitragem da Conmebol,  a ideia foi levada ao novo presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Dr. Juan Ángel Napout, que de imediato acatou a sugestão e celebrou o intercâmbio com a Uefa.

O primeiro homem de preto indicado pela Conmebol para participar do aludido intercâmbio, foi Enrique Osses (Fifa/Chile). Osses chamou a atenção dos europeus, após a excelente performance no Mundial de Clubes da Fifa no Marrocos, em dezembro do ano passado.

O evento denominado de Curso de Excelência de Arbitragem de inverno, foi realizado em Atenas na (Grécia), no período de 1º a 5 de fevereiro deste mês. No retorno ao Chile com autorização da Conembol, entrevistamos Enrique Osses sobre a sua estada no curso em tela e colhemos suas observações e opiniões sobre o seminário que podem ser lidas nos sites: http://www.parana-online.com.br/colunistas/ - www.apitodobicudo.blogspot.com.br.

Na quarta-feira (25), dando prosseguimento ao intercâmbio firmado no final do ano passado, a CBF anunciou que o árbitro Wagner Reway (Asp//Fifa/MT) e os assistentes Eduardo Cruz da Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul e Danilo Manis da Federação Paulista de Futebol, foram convocados para o Curso de Excelência da Uefa que será realizado em Nyon (Suíça), no próximo mês de março.

Reway, Manis e Cruz foram escolhidos pela CBF para o seminário da Uefa, porque atendem ao conjunto de exigências da Fifa, ou seja: tem disponibilidade de tempo, estão dentro da idade exigida pela Fifa, tem estatura física, ética profissional, e, sobretudo, falam, escrevem e leem fluentemente o idioma oficial da entidade que controla o futebol no planeta, que é o inglês.

PS: O intercâmbio na nossa opinião vai oxigenar, mudar o conceito e melhorar sobremaneira as tomadas de decisões do árbitro que labora nas competições da América do Sul.

Conmebol/Fifa: começou curso para árbitros e assistentes

      Dirigentes da Conmebol e da Fifa participam de curso preparatório para o Sub-17 da entidade Sul-americana

A (Conmebol) Confederação Sul-Americana de Futebol com o patrocínio do (RAP) Programa de Assistência à Arbitragem da FIFA, abriu o Curso para Árbitros e Árbitros Assistentes antes do Campeonato Sul-Americano Sub-17, que será efetivado no período de 4 a 29 de março no Paraguai.

O ato, que se realizou no Salão Auditorium da Casa do Futebol Sul-Americano, contou com a presença do presidente da Conmebol,  Juan Ángel Napout e dos seguintes dirigentes da arbitragem mundial: Manuel Navarro, Deputy Head Fifa Refereeing, Dr. Carlos Alarcón, Presidente da Comissão de Árbitros da CSF e Membro da Comissão de Árbitros da Fifa, Jorge Romo, Membro da Comissão de Árbitros da Fifa, Oscar Julián Ruíz do Programa de Assistência à Arbitragem da Fifa e Membro da Comissão de Árbitros da Conmebol e da Fifa, Ricardo Casas, Instrutor Técnico da Fifa,  bem como o Instrutor em Preparação Física Cristian Rosen, do Programa de Assistência à Arbitragem da Fida e do Gerente Geral da Confederação Gorka Villar.
Além das personalidades mencionadas, participam também, o Secretário Executivo da instituição, Francisco Figueredo e o Diretor de Comunicações da Conmebol Néstor Benítez. 

O Dr. Carlos Alarcón disse que “aqui começa um caminho que esperamos que seja feliz e exitoso”, dirigindo-se aos árbitros e assistentes mais jovens, que participarão do Sul-Americano Sub-17.

Já Manuel Navarro fez chegar as saudações do Presidente da Fifa, Joseph Blatter, bem como de Massimo Busacca, chefe do Departamento de Arbitragem da entidade matriz do futebol mundial -  e felicitou o presidente Napout pela decisão de enviar três árbitros de cada país membro da Conmebol - para o torneio Sub-17 a realizar-se no Paraguai.

Por sua parte, o presidente Napout manifestou que seu sonho é ver duas seleções Sul-americanas na final do Mundial da Rússia em 2018 – porém, se isso não acontecer, seu segundo sonho seria que uma equipe de arbitragem Sul-americana dirigisse essa grande final. O presidente também qualificou como um “nível excepcional os jogos finais do Sul-Americano Sub-20 - realizado nos meses de janeiro e fevereiro, no Uruguai em 2015”.  Para concluir, desejou um ótimo trabalho a todos e sustentou que “eles têm o apoio total e absoluto de quem lhes fala”.

O Curso finalizará em 01 de março, com a participação de 30 árbitros e assistentes de jogos, dos dez países membros da Conmebol. Vários temas regulamentares e técnicos serão esclarecidos, além da realização de práticas de campo e provas físicas.

A Conmebol e o Departamento de Arbitragem da Fifa trabalham continuamente em prol do fortalecimento da arbitragem, para o melhoramento do futebol. O Sul-Americano Sub-17, classificará quatro equipes para o Mundial da categoria, no Chile que acontecerá de 17 de outubro a 8 de novembro deste ano.
 
PS: O triunvirato brasileiro composto pelo árbitro, Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO) e os assistentes Cleriston Clay Barreto e Fabricio Vilarinho, foram designados pela Conmebol para atuarem no torneio em tela.
Fonte: Conmebol
  

(IFAB) analisará a 4º substituição

    O brasileiro Manoel Serapião Filho (foto), o primeiro da esquerda para à direita esteve recentemente em Belfast - representando a CBF/CONMEBOL em encontro da IFAB

Liderados por Michel Platini presidente da Uefa, um grupo de atletas, patrocinadores e dirigentes dos principais clubes do futebol europeu, encaminharam algumas propostas ao (IFAB) International Board, visando alterar as Regras de Futebol. As proposições serão discutidas na 129ª reunião da instituição, que acontecerá no próximo sábado (28), em Belfast (Irlanda do Norte).

A Uefa deseja que a Fifa e o Board flexibilizem a punição tripla. Hoje, quando um atleta impede ou acaba com uma oportunidade manifesta de gol num jogo, o infrator é punido com cartão vermelho - se for dentro da área penal, marca-se penalidade máxima, e se a falta aconteceu fora da área penal é tiro livre direto, e o jogador que cometeu a infração fica suspenso do próximo confronto. 

Ao invés do que você leu no parágrafo acima os europeus querem: que o atleta que impedir ou acabar com uma oportunidade clarividente de gol seja: punido com tiro livre se a falta foi fora dos limites da área penal. Se aconteceu dentro da área de pênalti (grande área) – assinala-se o tiro penal, porém, o infrator será advertido com cartão amarelo.

Caso o (IFAB) não concorde com a proposta em tela do Velho Continente, Platini propõe que a ideia seja implementada em caráter experimental em algumas competições da Uefa.

Acho difícil o Board e, por extensão, a Fifa amenizarem a punição tripla, dada duas frases peremptórias da entidade internacional: a primeira fala que: “O gol é a essência do futebol”. A segunda diz: “o atleta que impede ou acaba com uma oportunidade clara de gol, deve ser punido com cartão vermelho, porque subtrai do torcedor e do atacante o direito de desfrutar o perfume do futebol”. 

Outra proposição que será apreciada pelo (IFAB) é a de alterar de três para quatro as substituições numa partida. Neste caso já há entendimento pela alteração. Falta definir se a quarta substituição será realizada durante o transcorrer do jogo ou como querem alguns, somente em confrontos que tenham prorrogação.

Também será discutido o afastamento temporário de um atleta num prélio de futebol. Por sugestão de Michel Platini e Pierluigi Collina, o árbitro aplicaria o cartão branco ou laranja ao jogador, quando observar que ele está na eminência de ser expulso.

Posteriormente, mais calmo, retornaria ao jogo. Falta definir o tempo que o profissional ficaria temporariamente no banco de reservas, cinco ou dez minutos. O afastamento temporário de um jogador, está sendo testado nas categorias de base da Escócia, que em conjunto com a Inglaterra, País de Gales, Irlanda do Norte e a Fifa, compõe a (IFAB).

PS: Na nossa opinião, a proposição que deve receber sinal verde do International Board é a  quarta substituição. Os demais temas deverão sofrer várias experiências e no futuro voltarão ao debate da Fifa e do (IFAB).   

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Sorteio ou nomeações? Está instalada a "guerra" na arbitragem

  • Treinadores, presidentes e outros dirigentes parecem estar contra o critério de nomeações e já há quem peça o regresso do sorteio puro e duro dos árbitros.
  • Futebol
    Foto: SAPO Desporto
  • Os últimos erros de arbitragem instalaram uma “guerra” contra a nomeação dos juízes. Não há jornadas sem queixas, críticas dos intervenientes, erros de análise dos homens do apito que vão tendo influência nos resultados.
  • Treinadores, presidentes e outros dirigentes parecem estar contra o critério de nomeações e já há quem peça o regresso do sorteio puro e duro dos árbitros.
  • O jornal O Jogo ouviu alguns ex-árbitros que apitaram na era do sorteio, aprovado em 1998 pelos clubes, mas com votos contra do FC Porto, Belenenses, Sporting e Vitória de Guimarães. Vigorou até 2013. Os árbitros reconhecem que as nomeações não estão a ser felizes mas nem todos concordam com o regresso do sorteio.
  • O jornal colocou duas questões a oito ex-árbitros: A hipótese de fazer regressar o sorteio é boa ou má? Quais as vantagens e desvantagens? Escolhemos o testemunho de três deles: Jorge Coroado, Pedro Henriques e Fortunato Azevedo.
  • Jorge Coroado:
  • Por princípio e natureza, sou avesso ao sorteio. A designação dos árbitros deve primar pelo tributo à competência e à condição de forma. No atual momento não é o que se verifica. As nomeações não correspondem na íntegra ao que está regulamentado e são feitas de uma maneira que antecipadamente se apercebe que não vai resultar. Assim, o sorteio tornaria mais aleatória a nomeação e desresponsabilizaria o nomeador, perdendo este precisamente a mais capacitante condição que se exige num nomeador.
  • A nomeação direta, se se respeitarem paradigmas de aferição rigorosos de tributo aos mais capacitados, é o processo ideal; quando são feitas por simpatia ou para ver no que dá... normalmente dá mau resultado.
  • LEIA MAIS EM: http://desporto.sapo.pt/futebol

Futebol do Paraná não vai se ajoelhar para a CBF, diz Cury

Roger Pereira/ 25/02/2015 - Paranaonline
No mesmo dia em que conseguiu uma declaração de neutralidade da CBF na eleição da Federação Paranaense de Futebol, o presidente Hélio Cury fez duras críticas à entidade nacional, dizendo que a CBF não ajudou a FPF quando foi solicitada e deixou de cumprir compromissos assumidos anteriormente, na gestão Ricardo Teixeira. Cury negou que a Federação tenha se afastado da CBF, como argumenta o candidato de oposição Ricardo Gomyde, mas disse que, na sua gestão, o futebol paranaense não se ajoelhará à entidade nacional.
“Sempre tivemos um bom relacionamento com o Ricardo Teixeira. Na mudança da CBF a FPF foi prejudicada. Tivemos um leilão da sede da federação, em que pedimos ajuda da CBF para permanecer com a sede, nós precisávamos de um empréstimo de R$ 1,8 milhão para comprar a sede e repassar para eles como garantia para pagá-los na sequência e foi negado para nós, com eles com mais de R$ 300 milhões em caixa. Também tinha o compromisso de que a seleção brasileira passaria por aqui antes da Copa e não foi cumprido pelo (José Maria) Marin (presidente da CBF)”, disse Cury, em entrevista à RPC.

Cury rebateu a declaração dos presidentes de Atlético, Coritiba e Paraná de que tiveram que recorrer à CBF para conseguir ajuda que a FPF se recusou a dar. “Acompanhei vários clubes na CBF pedindo ajuda financeira. A CBF bloqueia o dinheiro de TV, pega uma garantia e ainda cobra juros. Não entendo que ajuda é essa. A Federação tem que ter boa relação com a CBF, mas tem que andar em pé e não de joelhos. Até dentro do campo os clubes daqui foram prejudicados pela CBF”, disse.

Ofício
Ontem, Hélio Cury indagou oficialmente a CBF sobre o apoio da entidade ao candidato de oposição, Ricardo Gomyde. Em resposta, o presidente da CBF, José Maria Marin, deixou claro que, ao contrário do que está sendo divulgado, a confederação “não se envolve em processo eleitoral de suas federações filiadas”.

Cury ainda criticou a postura dos presidentes do Trio de Ferro que vem bancando a candidatura de Gomyde, lembrando que durante os conturbados anos de gestão de Onaireves Moura, não viu os clubes se mobilizarem desta forma. “Não vi ninguém se levantar desse jeito para tirar o futebol paranaense das mãos do Onaireves Moura, depois de 23 anos com ele prejudicando o nosso futebol e enchendo a federação de dívidas”, declarou.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

40 partidas na Taça Libertadores da América

                                                 Heber Roberto Lopes (Fifa/SC)

Na próxima quarta-feira (25) quando colocar seus pés na relva do Estádio de La Plata (Buenos Aires/Argentina), assim que trilar seu apito, no confronto Estudiantes de La Plata (Argentina) x Barcelona SC (Equador), o árbitro Heber Roberto Lopes - atingirá a marca de (40) jogos na maior competição da América do Sul, a Taça Libertadores da América.

Nunca é demais lembrar que o indigitado árbitro laborou desde os primórdios da sua carreira na (FPF) Federação Paranaense de Futebol - porém, cansado da falta de projeto, planejamento, organização e sem perspectivas  no departamento de árbitros do futebol paranaense, transferiu-se para a Federação Catarinense de Futebol. 

Santa Catarina me recebeu como um filho, me disse recentemente Roberto Lopes. Quero encerrar minha carreira de árbitro aqui e continuar contribuindo com os jovens árbitros e assistentes do futebol catarinense, com o intuito de vê-los atingir o quadro da Fifa.  

PS: Além de  quatro equipes na Série (A) do Campeonato Brasileiro em 2015, a Federação Catarinense de Futebol terá dois árbitros Fifa - Heber Roberto Lopes e Sandro Meira Ricci. Três assistentes Fifa, Kleber Lucio Gil, Neusa Inês Back e Nadine Câmara Bastos e três árbitros no quadro da CBF categoria CBF-1.  São os jovens, Braulio da Silva Machado, Rodrigo D'Alonso e Ronan Marques da Rosa.


PS (2): Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG), o árbitro de Corinthians/SP 2 x 0 São Paulo/SP, pela Taça Libertadores na semana que passou, protagonizou o primeiro “fiasco” envolvendo a arbitragem em âmbito nacional e internacional neste início de ano. Explico: O confronto em tela foi transmitido para 88 países.


PS (3): Ao validar o segundo do Corinthians errou - houve falta no nascedouro da jogada que originou o gol. E, após confirmar o gol, foi “rodeado”, empurrado, levou de dedo em riste no rosto de vários atletas do Tricolor do Morumbi e as imagens da TV mostraram sem contestação a “amarelada” do referido árbitro.

PS (4): A Regra (12) – Faltas e incorreções diz: o atleta que desaprovar com gestos ou palavras as decisões da arbitragem deve ser advertido com cartão amarelo. Ricardo Marques é um jovem com  futuro, mas, não pode ser permissivo da forma como foi porque, senão em curto espaço de tempo será um árbitro comum.