sábado, 25 de junho de 2016

“O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO”

                                                                      Foto: CONMEBOL


Ao designar Heber Roberto Lopes(foto/FIFA/SC) para comandar a finalíssima da Copa América Centenário dos EUA, entre  Argentina x Chile, que, será realizada neste domingo (26/6), em Nova Jérsey (EUA), o Comitê de Arbitragem da CONMEBOL/CONCACAF/FIFA, reconhece e consolida a trajetória do melhor árbitro de futebol da América do Sul na atualidade.

Ao mesmo tempo, a escalação de Roberto Lopes, mostra a visão profissional da direção da Federação Catarinense de Futebol, leia-se Delfim de Pádua Peixoto, que, o contratou há quatro anos atrás e o levou para atuar nas competições daquela federação.

Além do exposto, a presença de Heber Roberto Lopes e dos árbitros assistentes Bruno Boschilia (FIFA/PR) e Kleber Lucio Gil (FIFA/SC), no Centenário do principal evento futebolístico das Américas, laureia o trabalho de excelência desenvolvido pela CA/CBF.

Comissão que tem como timoneiro Sérgio Corrêa da Silva e sua esquadra de excelência que é formada por: Alício Pena Júnior, Antonio Pereira da Silva, Ana Paula Oliveira, Claudio Freitas, Dionisio Roberto Domingos, Edson Resende de Oliveira, Manoel Serapião Filho [membro do Painel Técnico Consultivo do International Board), Marta Magalhães de Souza, Marcio Verri Brandão, Milton Otaviano, Nilson Monção, Paulo Roberto Camello e Wilson Luiz Seneme. 

Todos os instrutores acima mencionados, independente das qualidades e peculiaridades da trempe (Heber, Boschilia e Gil), tiveram participação efetiva nos cursos, seminários, palestras, testes teóricos e físicos desenvolvidos à arbitragem brasileira em consonância com a FIFA e o IFAB.

E aos cartolas do futebol do Estado do Paraná e demais segmentos, fica caracterizado de maneira indelével que o “modus operandi” vigente nos destinos do futebol da terra das araucárias, está em descompasso com a modernidade. Se não mudar a maneira de pensar e de agir continuará sendo tratado como futebol de segunda linha.

Explico: Heber Roberto Lopes é de Londrina (PR) e formou-se na Federação Paranaense de Futebol, onde atuou por mais de uma década – porém, cansado da ausência de reconhecimento e do atraso autofágico que norteia o futebol paranaense, há quatro anos mudou-se para Santa Catarina, onde tornou-se o melhor e mais bem pago profissional do apito brasileiro.

PS (1): Dado o feito extraordinário de Heber Roberto Lopes, a Câmara Municipal de Florianópolis e a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, preparam significativas homenagens ao melhor apito da América do Sul no momento, assim que pisar em solo catarinense.

PS (2): Aos dirigentes do futebol do Estado Paraná e àqueles que gravitam em torno deles – “O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você”.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Árbitros devem ler e interpretar o que leem

Na segunda-feira (20/6), a CA/CBF e a Escola Nacional de Arbitragem realizaram a reunião mensal e discutiram o scout de várias competições, incluso o Campeonato Brasileiro de 2016. Scout é uma ferramenta muita utilizada no Vôlei e no Basquete da (NBA-EUA), que tem a missão precípua de analisar as ações individuais, táticas, técnicas dos atletas. A CBF vem usando o scout nas suas competições há várias temporadas – a partir do Brasileiro do ano em curso, com a compra do software a entidade incrementou o uso do scout de maneira circunstanciada objetivando monitorar todos os movimentos e tomadas de decisões da arbitragem no campo de jogo. Além dos scouts, a cúpula diretiva da arbitragem brasileira, analisou os relatórios confeccionados pelos assessores e delegados de arbitragem.

O seminário promovido pela CBF com os dirigentes das comissões de arbitragens das federações de futebol no mês de fevereiro, que teve como preletor o ex-árbitro da FIFA e ex-diretor de arbitragem da FIFA, José Garcia Aranda; o curso com os assessores e delegados de arbitragem em março; os testes físicos e teóricos realizados em todos os estados onde tem árbitro da Relação Nacional de Árbitros de Futebol (Renaf); as recentes palestras efetivadas em todo o país aos árbitros da Renaf, cartolas, clubes e atletas sobre as novas alterações das REGRAS DE FUTEBOL autorizadas pelo (IFAB), colocam a arbitragem brasileira em termos de material didático num patamar elevadíssimo.

Cabe agora aos árbitros ler, ler, estudar e procurar entender na sua plenitude o que leu das dezessete REGRAS DE FUTEBOL e as diretrizes para árbitros e as novas alterações.  E, se houver dúvidas, buscar na CA/CBF mecanismos que os faça entender - para quando exigido à aplicar as regras e demais diretrizes no campo de jogo o façam de maneira adequada.
Confira no link a seguir um preâmbulo de reunião da Comissão de arbitragem - http://www.cbf.com.br/cbf-tv/arbitragem#.V2lLZtIrLIW


PS (1): Às contestações que me foram enviadas ao título deste articulado respondo: Não basta ler as REGRAS DE FUTEBOL, as diretrizes para árbitros do (IFAB) e as Circulares emitidas pela CA/CBF - tem que ler e entender o que leu para interpretar e aplicar na infração que acontecer, sempre em consonância com o espírito da regra. Exemplo característico de quem leu e não entendeu o que leu, foi exposto pelo quarteto de arbitragem que laborou na partida Londrina/PR 1 x 0 Vila Nova/GO, válida pela sétima rodada da Série (B) do Campeonato Brasileiro. “Não basta ler, tem que entender o que leu”.
    Carlos Alarcon (foto), está nos EUA onde foi prestigiar as finais da Copa América Centenário - foto: Conmebol
  

segunda-feira, 20 de junho de 2016

O árbitro é o “vilão” do futebol

                                                                         Foto:CONMEBOL

Matéria do jornalista Rodrigo Capelo da REVISTA ÉPOCA deste mês de junho conforme link -  [http://epoca.globo.com/vida/esporte/noticia/2016/06/o-endividamento-da-primeira-divisao-sobe-para-r-48-bi-impostos-omitidos-pesam.html] - escancara as vísceras da contabilidade financeira dos vinte clubes que mais devem aos bancos, a Receita Federal e ao INSS. E, por consequência, expõe que após um “pente-fino” dos organismos aqui nominados nas dívidas fiscais desses clubes, foi descoberto um rombo muito maior do que o informado nos balanços até 2014. Neste balanço não estão inseridos os contínuos atrasos salariais, o direito de arena dos atletas e as ações trabalhistas que sofrem os clubes.


Traduzindo: a cartolagem que comanda essas equipes tentou “fraudar” o balancete, mas, foi pega no contrapé. Pergunto: o que irá acontecer com os atuais dirigentes e com os que os antecederam que levaram suas equipes a “bancarrota”? Nada!, absolutamente nada.


Se a má-gestão perpetrada pelos dirigentes a frente das equipes tivesse sido efetivada pela arbitragem, a esta altura dos acontecimentos, os homens de preto estariam sendo cognominados de ladrão, safado, fdp, cadeia neles, denunciados ao STJD, sumariamente afastados das escalas, etc..... A imprensa esportiva que trabalha no futebol sabe dos fatos, mas, são raros os profissionais da mídia esportiva que tem a independência e o comprometimento com o esporte das multidões e, por conseguinte, com o torcedor como Rodrigo Capelo.


PS (1): No confronto Flamengo/RJ 2 x 2 São Paulo/SP, no domingo que passou, no Mané Garrincha em Brasília, o narrador da Globo pergunta ao comentarista de arbitragem Leonardo Gaciba em duas oportunidades, se ele queria ver de novo os lances para daí emitir sua opinião. Faço o registro porque os narradores e comentaristas ficam alocados juntos no mesmo local nas transmissões, e com um mínimo de três monitores de (TV) a sua disposição, para “condenar” às vezes injustamente a arbitragem.


PS (2): Mas o pior está acontecendo com as emissoras de rádio que só comparecem aos jogos quando é na capital. A maioria do rádio esportivo há muito tempo deixou de transmitir as partidas “In loco” nos estádios – só vai ao campo o repórter. Virou mania fazer a transmissão via “TUBO”. E, quando a transmissão é feita “In loco” é prática recorrente o narrador, comentarista ou repórter perguntar ao plantonista que está no estúdio, se foi penal ou não, se a falta foi dentro ou fora da área penal e assim por diante. Sabem o que responde o plantonista que está no estúdio com o monitor a sua frente? Foi um lance muito rápido e complexo, preciso ver o replay. Já imaginaram o árbitro que tem alguns milésimos de segundo para decidir?


PS (3): dada a cultura existente no futebol, acoplado ao total desconhecimento das REGRAS DE FUTEBOL e a omissão da mídia esportiva que deveria informar as ações impróprias que são praticadas pelos dirigentes no dia a dia na administração do futebol brasileiro - o árbitro que tem apenas dois olhos, não é profissional e não tem as vinte e quatro câmeras e os monitores que tem a sua disposição os comentaristas de arbitragens nas transmissões dos jogos, continuará sendo o principal “vilão” do futebol pentacampeão.

sábado, 18 de junho de 2016

No Levi’s Stadium

    É neste palco de primeiro mundo que a arbitragem brasileira irá circular daqui a algumas horas em Santa Clara (Califórnia).

Às 21h de deste sábado (18), o trio de arbitragem do futebol brasileiro que está atuando na Copa América Centenário dos EUA, e é composto por Heber Roberto Lopes (árbitro) e os assistentes Kleber Lucio Gil e Bruno Boschilia, pisam na relva do Levi’s Staduim, em Santa Clara (Califórnia), um dos mais modernos do planeta, inaugurado em julho de 2014. A trempe do apito do futebol pentacampeão, vai dirigir México x Chile, pelas quartas de final da mais importante competição das Américas. Importante ressaltar que a Copa América Centenário dos EUA, está sendo transmitida para cento e oitenta e dois países.

                              Foto: MHDB

PS: Falou-se muita bobagem a respeito do árbitro de vídeo (AV) no futebol brasileiro. Enquanto alguns não mediam as consequências das suas palavras, Sérgio Corrêa, diretor da CA/CBF e Manoel Serapião, membro do Painel Consultivo do (The IFAB), trabalharam em silêncio e profissionalismo perante os canais competentes e viabilizaram os mecanismos no sentido de implementar ainda nesta temporada o experimento do (AV) no nosso futebol.

PS (2): Dado o sinal verde pelo (IFAB), imediatamente Corrêa e Serapião deram a largada para a experiência do (AV) com treze testes já realizados Offline com absoluto sucesso no futebol brasileiro. A CBF via os dirigentes aqui nominados está utilizando tecnologia e pessoas de alto nível nestes experimentos. A outra informação que recebo, é que a CBF já tem pronto o arcabouço completo do treinamento que será aplicado aos árbitros de vídeos nos próximos dias.
 


quinta-feira, 16 de junho de 2016

Rodolpho na Arena

         Rodolpho Marques com a bola - foto - APAF/PR

De Montreal no (Canadá) onde está em visita a seus familiares e aperfeiçoando o idioma de inglês, Carlos Eugênio Simon, o melhor árbitro de futebol de todos os tempos do futebol brasileiro me envia um WatsApp. No diálogo travado via o Messenger que é um aplicativo de mensagens multiplataforma, Simon me disse que retorna ao Brasil no domingo (19).

Mas a conversa logo descambou para o tema arbitragem. Copa América Centenário dos EUA, Eurocopa e o Campeonato Brasileiro. Simon afirmou que ficou satisfeito com o desempenho do trio de arbitragem brasileiro que laborou no confronto Colômbia x Paraguai na Copa América, formado por Heber Roberto Lopes (árbitro) e os assistentes Bruno Boschilia e Kleber Lúcio Gil.

Falamos da organização e do espetáculo de entretenimento que é a Eurocopa, e a seguir sobre os homens de preto do futebol pentacampeão e as novas alterações autorizadas pelo (IFAB) no último dia 5 de março.

Antes do encerramento da nossa conversa, Simon perguntou como estavam os jovens promissores Marielson Alves Silva e Rodolpho Toski Marques, ambos promovidos recentemente ao quadro de Asp/FIFA. Falei que Marielson teve um teste dificílimo no prélio Palmeiras x Grêmio, mas se saiu muito bem -  e Toski Marques havia laborado num jogo da Série (B).

Nesta quinta (15), acompanhando o sorteio da CA/CBF, notei que Rodolpho Toski Marques havia sido sorteado para dirigir no próximo domingo, na Arena Corinthians em São Paulo, Corinthians x Botafogo/RJ. Ato contínuo, via WatsApp informei imediatamente o fato à Simon, que demonstrou enorme satisfação pela notícia à ele repassada.
PS: Na tarde desta quinta (16/6), parte dos homens de preto de Montreal, receberam Carlos Eugênio Simon que fez uma palestra sobre o tema REGRAS DE FUTEBOL e como funciona a arbitragem brasileira. Simon ficou impressionado com o tratamento que recebeu e com a admiração que os árbitros canadenses têm pelo futebol brasileiro. 

PS (2): A direção da Copa América Centenário dos EUA, informou que a quarta substituição autorizada pelo (IFAB), no último dia 5 de março, em confrontos que exigirem a prorrogação, só será implementada no torneio na partida final do dia 26 de junho. O que significa que todas os demais prelios da aludida competição que, terminarem empatados, antes da finalíssima, serão decididos na cobrança de tiros livres desde o ponto penal.   

Raio-X da arbitragem


Árbitro é como atleta
Assim como o atleta de futebol tem altos e baixos, momentos difíceis e fases auspiciosas, e atinge a maturidade num determinado momento da sua trajetória, o árbitro que milita no futebol vivencia ao longo da sua carreira embora um pouco diversificada, situações similares. Nossos articulados têm sido repetitivos neste tema, a exemplo de outros assuntos que julgamos de interesse da confraria do apito brasileiro.

Se não for do interesse precípuo da arbitragem não vejo razão para escrever sobre aquilo que fui e estudo há trinta e oito anos. Não faço estatística e não me presto ao trabalho de fazer proselitismo a nenhum árbitro ou assistente e/ou dirigente.

Se o árbitro e o assistente estão atuando em conformidade com as REGRAS DE FUTEBOL, o assessor e/ou delegado de arbitragem, membros da escola de formação de árbitros, dirigentes da comissão de árbitros da CBF, das comissões das federações de futebol, associação ou sindicato, fez ou está realizando algo de concreto dentro de uma ótica que seja do interesse e, sobretudo, da melhora da qualidade do homem de preto do futebol pentacampeão é mencionado aqui neste espaço. Se não realizou e não vem realizando, obviamente, também é nominado aqui neste Blog que é um “cuspe” no Oceano.  Diante do exposto, reitero que neste momento, o melhor árbitro da América do Sul é o brasileiro Heber Roberto Lopes. Ponto.

O árbitro da rodada
Num jogo de seis gols, sem erros do árbitro e dos assistentes e com marcação fortíssima de ambas as equipes, Chapecoense/SC 3 x 3 Grêmio/RS, o árbitro Luiz Flavio de Oliveira (foto/FIFA/SP) e seus bandeiras, são merecedores de menção pela extraordinária atuação que tiveram na indigitada partida. Na nossa opinião, foi a melhor atuação da quarta-feira.

Daronco repaginado?
Após ter sido permissivo com o lance de maior violência do futebol brasileiro neste 2016, no Gre-Nal, pelo campeonato Gaúcho, Anderson Daronco (FIFA/RS), voltou repaginado no Campeonato Brasileiro.  E, rodada após rodada, vem expondo o mesmo diapasão de arbitragem que o elevou durante o ano que passou. Ontem, no Coritiba/PR 2 x 2 Palmeiras/SP, no Couto Pereira, foi perfeito. Perguntei a um interlocutor em Porto Alegre, os motivos que propiciaram o retorno do crescimento de Daronco e a resposta foi: “Ele voltou a ouvir os conselhos do principal quarteto da arbitragem gaúcha que são: o Simon, o Mocelin, o Alexandre Barreto e o Ciro Camargo que é seu fã de carteirinha”. E acredito me disse o interlocutor, o Sérgio Corrêa, deve ter dado um puxão de orelha no “italiano”, referindo-se a Anderson Daronco.