terça-feira, 19 de setembro de 2017

O (AV) NÃO É UMA ATIVIDADE PERFUNCTÓRIA NO FUTEBOL BRASILEIRO


A declaração do presidente da Associação Nacional de Árbitros de Futebol (ANAF), Marco Antonio Martins, de que o ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), deveria ser implementado desde o início do Campeonato Brasileiro deste ano – e, que a instalação dessa tecnologia, vai esbarrar na falta de estrutura das arenas e estádios do país - o que impossibilitará produzir os efeitos almejados, é digna de reconhecimento - porque retrata uma verdade irretocável.

Além das deficiências estruturais das arenas e/ou estádios, apitos e bandeiras da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF/CBF), com raras exceções, sequer receberam o treinamento adequado de como manusear a ferramenta do (AV).

Tempo e oportunidade houve – mas a CBF refutou - alegando custo econômico demasiado e discordância do Protocolo estabelecido pelo (The IFAB), em 5 de março de 2016.

Na nossa opinião, a CBF só tomou a decisão de anunciar o experimento do (AV), porque: 1) Está premida pelas reiteradas insurreições dos cartolas que comandam os clubes, em função dos constantes erros da arbitragem – o que vem ocasionando prejuízos técnicos e financeiros às equipes, a exemplo do domingo que passou, no Corinthians/SP x Vasco da Gama/RJ. 2) A CBF sabe quem são e como agem os dirigentes do futebol brasileiro - são interesseiros, personalistas e sentimentalistas ao invés de profissionais, salvo uma ou outra exceção. 3) E o anúncio da implementação do (AV), mesmo em caráter experimental, é um paliativo que vai acalmar os ânimos nessa reta final do Brasileiro.

PS: Dado a exiguidade do tempo, diante dos acontecimentos e como o (AV) não faz parte do cotidiano do nosso futebol, é aguardado com expectativa qual será a empresa geradora das imagens. Tem que ser uma empresa especializada no tema. Que o setor da CBF responsável pelo (AV), cumpra o Protocolo definido pelo (The IFAB) - e não coloque obstáculos. Que os estádios e/ou arenas tenham as condições exigidas pelo Protocolo para implementar o teste do (AV). Que os instrutores responsáveis pelo curso de treinamento à arbitragem da (SENAF), sejam detentores de notório conhecimento a respeito da tecnologia em tela. E que a CBF convide a ANAF a participar do treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO.
Foto: FIFA 

Ranking da arbitragem da CA/CBF: 22ª e 23ª rodadas


A Comissão de Arbitragem da CBF divulgou as melhores equipes das 22ª e 23ª rodadas do Brasileirão. Os vencedores da temporada serão determinados pela soma da pontuação contabilizada durante todo o campeonato. O ranking está sendo elaborado a partir dos dados do sistema de análise de desempenho usado pela entidade. Confira:
ARBITRAGEM - BRASILEIRÃO - 22ª RODADA
Ponte Preta 1 x 2 Atlético-MG - 27 de agosto, domingo (16h), Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (foto-PR)
Árbitro Assistente 1: Bruno Boschilia (PR)
Árbitro Assistente 2: Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Quarto Árbitro: Rafael Trombeta (PR)
Árbitro Assistente Adicional 1: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Árbitro Assistente Adicional 2: Fabio Filipus (PR)
Palmeiras 4 x 2 São Paulo - 27 de agosto, domingo (16h), Allianz Parque, São Paulo (SP)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Árbitro Assistente 1: Emerson Augusto de Carvalho (SP)
Árbitro Assistente 2: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Quarto Árbitro: Alex dos Santos (SC)
Árbitro Assistente Adicional 1: Rodrigo D. Alonso Ferreira (SC)
Árbitro Assistente Adicional 2: Eduardo Cordeiro Guimarães (SC)

Fluminense 0 x 1 Vasco - 26 de agosto, sábado (16h), Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (foto-MG)
Árbitro
Assistente 1: Guilherme Dias Camilo (MG)
Árbitro Assistente 2: Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Quarto Árbitro: Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)
Árbitro Assistente Adicional 1: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Árbitro Assistente Adicional 2: Renato Cardoso da Conceição (MG)

ARBITRAGEM - BRASILEIRÃO - 23ª RODADA
Santos 2 x 0 Corinthians - 10 de setembro, domingo (16h), Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Árbitro Assistente 1: Alex Ang Ribeiro (SP)
Árbitro Assistente 2: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Quarto Árbitro: Alberto Poletto Masseira (SP)
Árbitro Assistente Adicional 1: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Árbitro Assistente Adicional 2: Marcio Henrique de Gois (SP)

Vitória 2 x 2 Fluminense - 10 de setembro, domingo (16h), Manoel Barradas, Salvador (BA)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Árbitro Assistente 1: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)
Árbitro Assistente 2: Fabio Rodrigo Rubinho (MT)
Quarto Árbitro: Renan Antônio Angelim Rodrigues (MT)
Árbitro Assistente Adicional 1: Marcos Mateus Pereira (MS)
Árbitro Assistente Adicional 2: Rafael Odilio Ramos dos Santos (MT)

Vasco 1 x 0 Grêmio - 9 de setembro, sábado (18h), São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (foto-SC)
Árbitro Assistente 1: Helton Nunes (SC)
Árbitro Assistente 2: Thiaggo Americano Labes (SC)
Quarto Árbitro: Johnny Barros de Oliveira (SC)
Árbitro Assistente Adicional 1: Celio Amorim (SC)
Árbitro Assistente Adicional 2: Edson da Silva (SC)
Fonte: CBF

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

ARBITRAGENS EQUILIBRADAS

                                                             Crédito: ParanaOnline

Dois árbitros e, por consequência, suas atuações me despertaram a atenção na 24ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série (A), disputa no final de semana que passou. André Luiz de Freitas Castro (foto-CBF-GO), no jogo Avaí/SC 1 x 1 Atlético/MG, disputada às 11h, em Florianópolis, e Rodolpho Toski Marques (FIFA/PR), no prelio Vitória/BA 1 x 2 São Paulo/SP, jogada no período da tarde de domingo, na terra de todos os santos.   

Dois confrontos que envolviam duas esquadras de grandeza,  dentro do contexto do futebol pentacampeão mundial - mas, não vivem um bom momento no Brasileirão. O Galo das Alterosas - e o Tricolor do Morumbi.

Na partida matinal disputada na capital catarinense, André Castro e seus congêneres do apito, independente do pleno conhecimento das REGRAS DE FUTEBOL, exibiram três qualidades importantíssima à arbitragem em qualquer situação -   sobretudo, quando em jogos de alta dificuldade: EQUILÍBRIO, ENERGIA e IMPARCIALIDADE. Arbitragem perfeita!

A tarde na bela Salvador (BA), Rodolpho Toski Marques (foto) e seus auxiliares, além de repetirem as qualidades elencadas em seus homólogos de Floripa, nas tomadas de decisões técnicas e disciplinares, exibiram um outro componente que deve nortear a arbitragem no manuseio de um prélio.
Estudar antes do jogo o comportamento dos técnicos e atletas de ambas as equipes, incluso as ações na área técnica e banco de reservas e posicionamento na tabela de classificação.
Ou seja, planejar um modus operandi de arbitragem com conhecimento macro dos prós e dos contra de cada time. E, a partir de então, quando a bola rolar, vivenciar em 100% a partida.
Foi o que fez Toski Marques. Inteligente, muito bem fisicamente, o que lhe permite deslocar-se com facilidade pela relva, segurou num primeiro momento o jogo na sua mão e, quando teve certeza disso, foi soltando o jogo de maneira paulatina.
                             Crédito/APAF/PR
Terminado a peleja, ninguém foi contestar suas decisões - pelo contrário, foi cumprimentado. Nem tricolores e nem rubro-negros tocaram no tema arbitragem. André Castro e Rodolpho Marques não inventaram e/ou criaram nada de excepcional.
Cumpriram as regras, as orientações e determinações da CA/CBF, as diretrizes do (The IFAB), leram as normas que estão disponibilizadas a parte ao árbitro em inglês, pela FIFA, onde está preceituado que o árbitro deve tomar as medidas acima elencadas -  e tiveram a sorte de não ter nenhum lance de “sibilina” interpretação, nos jogos que dirigiram.
PS: Criticar a eficácia do árbitro assistente adicional, que, fica posicionado no mesmo lado do árbitro assistente  (bandeira) - nas partidas da Série (A) do Campeonato Brasileiro é fácil. O X da questão é a CBF explicar porque, não há treinamento para capacitá-lo em conformidade com as suas atribuições e/ou funções.  
  Ao implementar o experimento do (AV) - a CBF insere a arbitragem brasileira na modernidade - Crédito: FIFA

PS (2): Ponto positivo para a presidência da CBF, que após o episódio do gol consignado com o braço do atacante Jô do Corinthians, contra o Vasco da Gama, decidiu implementar o experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. O que significa o retorno imediato do coordenador do (AV)da CBF, Sérgio Corrêa da Silva e Manoel Serapião Filho, que estão participando do seminário sobre o (AV) da CONMEBOL, em Luque (Paraguai).
    

domingo, 17 de setembro de 2017

CURSO INCOMPLETO

              Crédito: SAFERGS


O site da FIFA no que concerne a arbitragem, acusa que a América do Sul tem (68) árbitros e (69) árbitros assistentes. O que significa que todos os (137) apitos e bandeiras, são membros da esquadra de arbitragem da Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).
Portanto a convocação de (20) árbitros e (8) árbitros assistentes, para o curso de treinamento sobre o ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), que está sendo realizado na sede da entidade na cidade Luque, nas circunvizinhanças de Assunção, capital do Paraguai, está incompleto.
É compreensível a não convocação de um contingente maior da arbitragem Sul-americana para o aludido curso - em função das acomodações, espaço físico e, também porque, a maioria dos campeonatos dos filiados à CONMEBOL, está em pleno andamento.
Diante do exposto, fica evidente que a (CSF) para atingir 100% do seu quadro de árbitros, no que diz respeito a tecnologia do (AV), terá que realizar novos cursos.
Pois do contrário, parte significativa da confraria do apito daquele organismo, vai ficar sem o devido conhecimento, dessa importante ferramenta disponibilizada pelo (The IFAB) para auxiliar a arbitragem, a tomar decisões mais justas no campo de jogo.
Ad argumentandum tantum (1) – Dos considerados grandes centros do futebol mundial, a CONMEBOL é a última entidade a realizar o curso de treinamento do (AV) à sua equipe de arbitragem. Ressalto ainda que do total de (68) árbitros, apenas (30%) foram convocados. Já o percentual dos assistentes, é pouco acima de (10%), do total de (69).
Ad argumentandum tantum (2) – A Frase de autoria dos instrutores de arbitragem da CBF, Luiz Cunha Martins, Manoel Serapião Filho e Sérgio Corrêa da Silva preceitua que: “A arbitragem exige concentração, controle emocional, pleno domínio das REGRAS DO JOGO, condicionamento físico, bom posicionamento em campo, firmeza nas decisões e, acima de tudo, imparcialidade e entusiasmo”. A exuberante arbitragem de Jean Pierre Gonçalves de Lima (foto-RS), no prélio Paraná/PR 2 x 1 Londrina/PR, pela Série (B), no sábado (16/9), em Curitiba (PR), encaixou-se com perfeição na frase acima nominada. Ou melhor dizendo, Jean Pierre foi 10!.

Ad argumentandum tantum (3) - Na contramão do DESENVOLVIMENTO e na  vanguarda do SUBDESENVOLVIMENTO - a CBF decidiu não implementar o teste do ÁRBITRO DE VÍDEO, no Campeonato Brasileiro desta temporada. Resultado: A arbitragem com erros crassos em alguns jogos, está decidindo as partidas do seu principal torneio. POBRE ARBITRAGEM BRASILEIRA!

PERGUNTAR NÃO OFENDE: Quais são os critérios utilizados pela CA/CBF, no momento de inserir apitos e bandeiras nos sorteios da Série (A) do Brasileirão?

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

(AV) NA BUNDESLIGA: DECISÃO DE DEZ A QUARENTA SEGUNDOS

                                                                           Crédito: DFB

Após a reunião histórica do (The IFAB), que autorizou o teste do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), em “Off line”, em março de 2016, enquanto o mundo subdesenvolvido do futebol, “batia no peito”, avocando a paternidade do aludido experimento, a Deutscher Fussaball-Bun – a Bundesliga da Alemanha - organizou um cronograma que tinha a escolha da cidade, e local adequado para treinar o seu quadro de arbitragem em relação a tecnologia em tela.

Escolhida a cidade de Colônia (Alemanha) - foi construído um centro de treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO - e, logo a seguir, a empresa de excelência que iria realizar o treinamento aos apitos sobre o (AV) e, por extensão, a geradora das imagens. Tudo isso no mais absoluto silêncio e profunda discrição.

Após oito meses de treinamento, com inúmeros testes no modo “Off lline”, apitos e bandeiras da Bundesliga, receberam o certificado de capacitação sobre o (AV) - e estão aptos a dirimir [qualquer dúvida que aconteça nas partidas da temporada 2017/2018, no espaço de tempo mínimo de dez segundos e máximo de quarenta segundos.]

A definição do que você acaba de ler tem cinco nomes: profissionalismo, planejamento, organização, transparência – e, compromisso com o torcedor, a imprensa, a arbitragem, os cartolas, os atletas, os técnicos, os patrocinadores. O resultado é visto semanalmente nos estádios lotados em todos os jogos – e, a Bundesliga no “calcanhar” da Premier League, (Inglaterra), visando ultrapassá-la.

O Periódico {EL TIEMPO} da Colômbia, noticiou na quinta (14/9) - a nova relação dos apitos da FIFA, da Federação Colombiana de Futebol para a temporada 2018. Clique em cima do link a seguir e veja os novos integrantes da lista internacional da FIFA - http://www.eltiempo.com/deportes/futbol-colombiano/arbitros-fifa-de-colombia-para-2018-130750

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

CONMEBOL ANUNCIA TREINAMENTO À ARBITRAGEM SOBRE O (AV)


A CONMEBOL informa que a partir de hoje até 22 de setembro, serão levadas a cabo, na sede da Confederação Sul-Americana de Futebol, as capacitações no uso da tecnologia do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV) aos árbitros que foram designados para as semifinais e finais da CONMEBOL Libertadores Bridgestone – o processo em tela é considerado de fundamental importância à inovação que se adianta para garantir a justiça esportiva e o jogo limpo.

Dar aos nossos árbitros os conhecimentos suficientes para utilizar adequadamente esta tecnologia, tornará mais fácil a tomada de decisões corretas, bem como a redução de erros que possam influir nas etapas mais importantes e decisivas da CONMEBOL/Libertadores” - explicou Alejandro Domínguez, Presidente da CONMEBOL.

As capacitações têm o objetivo de recriar e simular situações que preparem os trios arbitrais no manejo, implementação e interpretação dos momentos em que o (AV) pode ser utilizado - partindo da ideia de minimizar a interrupção do ritmo e do tempo de jogo para assegurar que a tecnologia seja uma ferramenta de apoio que aporta para o desenvolvimento, e qualidade do futebol sul-americano.
Foto: FPF/Portugal

PS: Como exposto no site do (The IFAB) – http://theifab.com/projects/video-assistant-referees-vars-experiment?tab=3 - a CONMEBOL e seus filiados dos denominados grandes centros do futebol mundial, é a última instituição a aderir ao experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO. Esse fato mantém a arbitragem sul-americana, em descompasso em relação aos seus homólogos em todo o planeta. 

PS (2): A empresa vencedora do processo licitatório para  a implantação dos tetes do (AV) na Confederação Sul- Americana de Futebol, é top de linha. O que não pode se repetir nos experimentos do ÁRBITRO DE VÍDEO da CONMEBOL, são os fatos lamentáveis que ocorreram nos dois testes realizados neste 2017, entre a CBF e a Federação Pernambucana de Futebol. "FOI UM FIASCO INOMINÁVEL"!



terça-feira, 12 de setembro de 2017

ARBITRAGEM: TEORIA ESTÁ SUPLANTANDO A PRÁTICA


Observando as tomadas de decisões da arbitragem no Campeonato Brasileiro desta temporada, me veio a mente que há excesso de teoria no intelecto da confraria do apito, que, labora nas competições da CBF, sobretudo, na Série (A). Teoria que está suplantando a prática e conduzindo as arbitragens para o “beleléu”.

Tive a convicção ao ver um dos melhores apitos do nosso futebol, Anderson Daronco (FIFA/RS), desenvolver uma sistema de arbitragem em completo descompasso da praticidade (inseguro) - em alguns momentos do clássico Atlético/PR x Coritiba/PR, no domingo (10/9).
 
O excesso de teoria pelo andar da carruagem, está provocando uma ingente amnésia na cabeça da confraria dos homens de preto do futebol brasileiro. Amnésia que fez com que apitos e bandeiras se olvidassem de que, o sucesso de uma boa arbitragem está vinculado a 70% de prática - (treinamento no campo de jogo, através de situações reais que acontecem numa partida – acoplado ao trabalho em equipe que é prática e não teoria). 
 
Embora seja um esporte totalmente diferenciado do futebol - a Fórmula (1) dá um exemplo entre a teoria e a prática. Em recente documentário que vi na Tv, cada integrante treina 85% de prática ao longo da semana de maneira individual e coletiva. O resultado é um show de competência no abastecimento, troca de pneus e de alguma peça e/ou equipamento no carro ou do piloto quando necessário. 
 
Os 30% restantes de uma arbitragem considerada de boa qualidade, virão através da concentração total no jogo do quarteto e/ou sexteto de arbitragem – do conhecimento das regras e a devida interpretação e aplicação – da ótima preparação física, que irá proporcionar ao árbitro deslocar-se dentro das quatro linhas e obter o melhor ângulo de visão das jogadas. O mesmo vale aos assistentes que atuam fora do campo, a margem da linha lateral. E, por derradeiro, do equilíbrio diante das nuances que ocorrem num prelio de futebol. 
 
É óbvio que o árbitro na direção de um prelio tem diferentes atribuições e frações de segundos para: Observar, constatar e decidir se houve ou não infração as REGRAS DE FUTEBOL – e incontinenti, interpretá-las e aplicá-las de acordo com o preceituado no manual do (The IFAB). Agora, que a teoria está se sobrepondo a prática nas tomadas de decisões da arbitragem no atual Brasileirão, não resta a menor dúvida.

PS: O curso provido pela CONMEBOL em conjunto com a CBF à arbitragem da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF/CBF), em Águas de Lindóia (SP), na semana passada, não abordou a questão do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV) - ferramenta autorizada para experimento pelo (The IFAB), desde março de 2016. Tecnologia que vem sendo testada com a arbitragem dos EUA, Europa e Ásia. O que significa que apitos e bandeiras da CBF continuarão na contramão do desenvolvimento e na vanguarda do atraso.

DE PRIMEIRA - Sob a direção do secretário-geral adjunto da FIFA, Zvonimir Boban, o Painel Técnico Consultivo e membros do (The IFAB), estão reunidos desde a terça (12), até esta quarta (13), em Zurique, sede da FIFA. O objetivo é analisar uma série de situações em relação as REGRAS DE FUTEBOL e, PRINCIPALMENTE, os resultados do experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), em diferentes competições em todo o planeta. Ficou estabelecido que a próxima reunião do aludido painel, será efetivada em Dubai (Emirados Árabes Unidos) – no dia 17 de dezembro deste ano.

ad argumentantum tantum - Enquanto o mundo desenvolvido do futebol, experimenta e discute o tema (AV) - a América do Sul, continua mergulhada no SUBDESENVOLVIMENTO em relação a indigitada tecnologia, incluso o futebol brasileiro. 

Clique no link a seguir e leia quais são os países que estão realizando efetivamente, o teste com o ÁRBITRO DE VÍDEO - http://theifab.com/projects/video-assistant-referees-vars-experiment?tab=3

Fonte: (The IFAB)  
 

domingo, 10 de setembro de 2017

UMA COMISSÃO DE NOTÁVEIS À ARBITRAGEM



Instituída para formar, acompanhar, orientar, requalificar e designar a arbitragem de todas as competições do futebol inglês, a Premier League, a única do planeta onde o árbitro é profissional e não pode ter outra atividade enquanto filiado a nominada liga, vem aperfeiçoando paulatinamente as questões do apito.
Seu modelo de gestão profissional no setor da arbitragem é considerado paradigma em todo o mundo. É comum observarmos nos blogs, jornais e no próprio site da entidade as diferentes associações, confederações e federações vinculadas ao futebol, requisitarem seus profissionais para ministrarem cursos, palestras e seminários aos homens que manejam os apitos e bandeiras nos diferentes Continentes, do globo terrestre.
Além de ser a única que mantém um quadro de árbitros e assistentes que se dedicam exclusivamente ao mister da arbitragem, a Premier League, instituiu uma (Comissão de Notáveis) – que tem a missão específica de analisar o desempenho das tomadas de decisões dos homens de preto, no campo de jogo.  
Comissão de Notáveis que foi formada dada as constantes reclamações dos cartolas, técnicos, atletas, imprensa e dos torcedores.
Adeptos da transparência, a direção da Premier League ao criar a aludida comissão, estabeleceu no regulamento que: 1) A comissão seria formada por dois membros da entidade; 2) Um dirigente escolhido entre os clubes que disputam a principal competição; 3) Um representante dos atletas; 4) Um técnico das equipes que disputam a liga: 5) Um ex-árbitro com notório conhecimento sobre as REGRAS DE FUTEBOL e 6) a segunda-feira, como dia para observar, discutir e analisar os prós e os contra da confraria do apito inglês.
Por que na segunda? Porque todos os envolvidos nos prélios do final de semana, após verem e reverem os lances que suscitaram dúvidas da arbitragem nos jogos, ao irem a reunião na Premier League para discutir e opinar a respeito dos fatos - já estão com os ânimos serenados – e, a versão e opinião dos acontecimentos, na maioria das vezes tem mudado com percentual de 92,7%, em favor dos árbitros.
PS: A CBF criou algo similar a Comissão de Notáveis da Premier League nesta temporada – não se sabe o que aconteceu – as explicações e os vídeos postados no seu site até o momento, não alcançaram o objetivo. Tanto é verdade que rodada após rodada, as insurreições contra as decisões da arbitragem no que tange a Série (A), tem crescido substancialmente.
PS (2): O curso provido pela CBF aos árbitros da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF), em Águas de Lindóia (SP), na semana que passou, não abordou e sequer abriu espaço para num futuro se discutir e/ou treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), à confraria do apito brasileiro. O que significa que apitos e bandeiras da CBF com raras exceções, continuarão na contramão do DESENVOLVIMENTO e, na vanguarda do SUBDESENVOLVIMENTO, no que tange ao (AV).  

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

(AAA): INCOMPETÊNCIA, FALTA DE TREINAMENTO OU OMISSÃO?


O livro REGRAS DE FUTEBOL 2017/2018, preceitua nas páginas (75 a 80) as funções de cada membro da equipe de arbitragem desde o momento em que o sexteto e/ou quarteto de árbitros chega ao local do jogo que irão laborar antes, durante e após as partidas.
Inclusive dos (AAA -foto) – árbitros assistentes adicionais, que, por decisão do (The IFAB), devem posicionar-se na linha de fundo ao lado do poste da meta e do mesmo lado do assistente (1) e, por conseguinte, do assistente (2).
Os (AAA) foram lançados em diferentes países e competições futebolísticas – e, após vários ajustes, foi autorizada a sua implementação pelo (The IFAB). A CBF implantou essa prática – posteriormente, “alegando” custo financeiro elevado, aboliu-a do Campeonato Brasileiro da Série (A). Em 2017, retornou com os (AAA).
Só que pelo andar da carruagem, os árbitros designados para a função em tela na Série (A) do Brasileirão, com raríssimas exceções, estão mais perdidos do que cachorro quando cai do caminhão de mudança.  
Um exemplo clarividente, foi a omissão do (AAA) que estava postado ao lado da meta do arqueiro Fabio do Cruzeiro (MG), na primeira partida decisiva da Copa do Brasil, no Maracanã, entre Flamengo/RJ x Cruzeiro/MG, na quarta (7/9).
O gol do Flamengo/RJ, consignado pelo atleta Paquetá, exibe o jogador em completo impedimento. Falharam simultaneamente o bandeira e o árbitro assistente adicional - que estava no máximo há seis metros do lance. No lance irregular, não havia nenhum atleta de ambas as equipes estorvando o campo visual do (AAA). Irregularidade que “manchou”, a belíssima arbitragem de Marcelo Aparecido de Souza (SP).
Houve vários casos similares ao da quarta que passou, no Campeonato Brasileiro deste ano. É no mínimo “estranho” que, a CA/CBF não tenha observado essa deficiência sistemática dos (AAA) – e, por conseguinte, não tenha acionado a Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF), visando treinar, orientar quem exerce a função para proceder em conformidade com o exposto nas REGRAS DE FUTEBOL.  
    (AAA) tem funções definidas pelo (The IFAB) - FOTOS - UEFA
PS: O curso provido pela CBF aos árbitros da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF), nesta semana, não abordou e sequer abriu espaço para num futuro discutir e/ou treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), à confraria do apito brasileiro. O que significa que os apitos e bandeiras da CBF com raras exceções, continuarão na contramão do DESENVOLVIMENTO e, na vanguarda do SUBDESENVOLVIMENTO no que tange ao (AV).  

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

(RAP) PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À ARBITRAGEM


A CONMEBOL em parceria com a CA/CBF realiza a partir desta segunda (4), até o dia 8 de setembro, o seminário denominado (RAP) Refereeing Assistance Programme, à membresia da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (Senaf). O objetivo do Workshoping, é atualizar os apitos e assistentes no que concerne as REGRAS DE FUTEBOL 2017/2018, as diretrizes do (The IFAB) e as normas estabelecidas pela da CA/CBF.
Além disso, os homens de preto do futebol brasileiro serão submetidos ao teste físico padrão FIFA, testes teóricos, testes práticos no campo de jogo e exibição de vídeos com lances polêmicos e, sobretudo, aqueles que acontecem na chamada “zona negra” do campo de jogo, local onde “morrem” a maioria dos árbitros.
Como não houve divulgação do evento, salvo alguma exceção, a exemplo dos seminários anteriores, os instrutores serão os mesmos de sempre, ou seja, àqueles vinculados à cultura da CONMEBOL.
A ausência de instrutores de arbitragem de outros Continentes, cuja cultura do futebol e da arbitragem, não em relação as regras que são universais, é diferente da América do Sul, provoca um hiato na maneira de obter conhecimento, compreender, interpretar, aplicar as regras e dirigir as competições da CBF no que tange ao século 21..
E, por consequência, abre um leque de defasagem nos apitos da CBF, quando designados para torneios da envergadura da FIFA, onde há uma miscigenação de culturas.
PS: O articulado acima na nossa maneira de pensar e ver a arbitragem, é direcionado aos demais filiados a CONMEBOL, que estão circunscritos a mesma cultura predominante.
PS: A globalização é um processo de integração social, política e econômica entre os países e as pessoas do mundo, onde todos os governos e as empresas, realizam intercâmbios. O que significa que o futebol e a arbitragem devem estar em acordo com a globalização. Tenho observado que o setor do apito da Europa, América do Norte e Caribe, Ásia e Oceania já estão inseridas na globalização. As exceções são a América do Sul e a África.

ad argumentandum tantum: Sugiro que o quadro de árbitros da CONMEBOL, seja submetido a um teste físico, sob os olhares imutáveis do professor Werner Helsen, preparador físico da arbitragem da UEFA e da FIFA. E, que Massimo Busacca, aplique uma prova escrita nos idiomas em inglês/espanhol, aos apitos e bandeiras da aludida entidade. 
Foto: CONMEBOL 

Com pesar noticio o falecimento do ex-árbitro da Federação Paranaense de Futebol, Dirceu Oscar de Matos, nesta segunda (4/8), na cidade de Maringá (PR). Oscar de Matos tinha como virtude principal, a lealdade aos seus amigos, dentre os quais me incluo. À você grande amigo, digo o que dizia o mestre Boleslau Slyviani: "VAI COM DEUS GURI"!