domingo, 23 de julho de 2017

DIVERGÊNCIAS SUPERADAS


Trocando informações com o confrade Marçal do site APITO NACIONAL, via WatsApp, sobre o tema arbitragem há trinta dias atrás, veio a tona a nossa divergência com a Associação Nacional de Árbitros de Futebol (ANAF).
No colóquio estabelecido com Marçal, discutimos vários assuntos -  e o derradeiro foi: Quais foram e/ou são os motivos da querela deste colunista com o presidente da ANAF, Marco Antonio Martins (foto). Disse que, nunca tive e não tinha nada de pessoal contra Martins, ou outro dirigente da entidade que representa a confraria do apito brasileiro. 
Afirmei que nossas críticas sempre tiveram como escopo o melhor à arbitragem do futebol pentacampeão. Foi quando Marçal me perguntou: “Bicudo, você aceitaria conversar com o Marco Martins e resolvermos esta situação?”. Incontinenti respondi que, independente de ideologia e filosofia, desde que a conversa fosse de alto nível sobre as questões arguidas aqui neste espaço, sim.
Houve duas conversas e na terceira acertamos o encontro para a sexta-feira (21/7), nas dependências do mais tradicional Restaurante de Curitiba, o Madalosso, localizado no bairro nobre de Santa Felicidade.
Após o jantar, iniciamos nossos questionamentos com  Martins sobre os diversos assuntos envolvendo a arbitragem brasileira, que respondeu assim: 1) Situação atual da ANAF – todos sabem como recebemos a Anaf há sete anos atrás. Hoje é uma entidade solidificada financeiramente, que goza de respeitabilidade e tem trânsito livre em todos os segmentos do futebol brasileiro, Ministério Público do Trabalho, Justiça do Trabalho, CBF e mais recentemente, conseguimos duas vagas junto ao Profut no Congresso Nacional.
2) Direito de arena à categoria do apito – Não perdemos o foco – estamos esperando as coisas acalmarem em Brasília e na sequência vamos reivindicá-lo novamente. 3) Direito de imagem – Estamos acompanhando todos os desdobramentos desta querela. Em breve teremos novidades. A ANAF quer que cada árbitro e/ou assistente, negocie unilateralmente o seu direito. Vai acontecer, precisamos aguardar um pouquinho mais.
4) Patrocínio na vestimenta da arbitragem -  É outra situação irreversível – a arbitragem do futebol pentacampeão terá novidades em breve. Tenho trabalhado muito em cima desta questão. Paciência é o segredo.
5) Relação da ANAF com a direção da CBF – Temos as portas abertas com o presidente Marco Polo Del Nero, com a Comissão de Árbitros e a ENAF. O diálogo é franco e tivemos várias sugestões e pleitos atendidos – e, a categoria tem conhecimento do aumento e nivelamento das (taxas e diárias de todas as séries do Campeonato Brasileiro). Temos outras reivindicações – mas tudo tem que ser a seu tempo. Quem falar o contrário, falta com a verdade para com a categoria.
6) Arbitragem da Primeira Liga – A ANAF reivindicou junto    a direção da liga, taxa da FIFA aos árbitros e assistentes - e conseguimos o direito de imagem à todos os árbitros, assistentes e o quarto árbitro. O que já propiciou além da taxa (hum mil e oitenta reais per capta). 
7) Futuro da ANAF – Vamos nos reunir no período de 4 a 6 de agosto próximo, em Florianópolis (SC) – quando então, discutiremos vários temas pertinentes à classe. A decisão será do grupo, que, está conosco desde o início da nossa caminhada à frente da ANAF. Ninguém faz nada sozinho. “Tudo o que fizemos e conseguimos até hoje à arbitragem brasileira, e pretendemos obter na sequência, foi e sempre será em grupo”.
8) Nome para substitui-lo na direção da ANAF - Como  disse acima, sempre trabalhei em grupo e é o grupo quem vai decidir. Mas se depender da minha opinião, vou indicar Salmo Valentin. Um autêntico nauta de caráter inquestionável e com Know-how para conduzir a nau da arbitragem brasileira à um porto seguro.
PS: Observando o semblante de Marco Martins a cada questionamento e, por extensão, a convicção das respostas, me convenci de que, a Associação Nacional de Árbitros de Futebol, leu e absorveu nossas críticas e mudou parte da sua postura.
PS (2): Há dois vitoriosos neste episódio: A ANAF e a arbitragem do futebol brasileiro.    

quarta-feira, 19 de julho de 2017

CBF dará curso sobre padrão de arbitragem



A Comissão de Arbitragem da CBF começará, nesta quinta-feira (20), um curso para padronizar a atuação das equipes em todo o Brasil. Haverá palestras com abertura para perguntas, realizadas pelo equipamento de videoconferência instalado na sede da CBF, no Rio de Janeiro.
Cada federação vai reunir, em sua sede, os árbitros, inspetores e analistas que atuam nos campeonatos. Este é o cronograma das aulas:
JULHO DE 2017
Dia 20, 16h-18h: AP/RO/RR
Dia 21, 10h30-12h30: AM/AC/PA/TO/MA
Dia 21, 16h-18h: PI/CE/RN/PE/PB
Dia 25, 10h30-12h30: AL/BA/SE/ES/GO
Dia 25, 16h-18h: DF/MS/MT/MG/RJ
Dia 27, 16h-18h: PR/RS/SC/SP

Reunião da Comissão de Arbitragem da CONMEBOL

    Da esquerda para direita, Amélio Andino, Hector Baldassi, Wilson Seneme (presidente), Oscar Ruiz e Jorge Larrionda, o quinteto de arbitragem da CONMEBOL.

  • A Comissão de Arbitragem da Confederação Sul-Americana de Futebol encontra-se reunida na Casa do Futebol Sul-Americano em Luque, Grande Assunção, com uma agenda que contém vários assuntos a serem tratados.
  • Wilson Seneme, Presidente da Comissão, juntamente com os membros da Comissão, Jorge Larrionda, Héctor Baldassi, Óscar Julián Ruíz e Amelio Andino, sendo este último membro da Comissão de Árbitros da FIFA.
  • Entre outros assuntos está a definição da lista dos árbitros que serão capacitados para o Projeto VAR (ÁRBITRO DE VÍDEO), as designações da próxima dupla fase das Eliminatórias CONMEBOL pela Copa do Mundo FIFA 2018 - também os detalhes do segundo semestre quanto às capacitações do futebol de campo, futsal, futebol de praia e a elaboração do calendário de cursos que serão realizados previamente às competições de 2018.
  • Outro ponto abordado será a avaliação do desempenho de árbitros e assistentes ao decorrer deste ano. A reunião acontecerá até sexta-feira dia 21 de julho.
  • PS: A árbitra paranaense Edina Alves Batista foi designada pela Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para dirigir a final do Campeonato Brasileiro Feminino A1 entre as equipes de Corinthians-SP X Santos-SP.
  • Edina, que tem atuado como Árbitra Adicional na Séria A do Brasileiro masculino, terá como assistentes a paulista Tatiane Sacilotti Camargo e a catarinense Neuza Inês Back, justamente o trio brasileiro pré-selecionado para a Copa do Mundo Feminina de 2019. A primeira partida foi vencida pela equipe santista pelo placar de 2 X 0.
  • Fonte: CONMEBOL

segunda-feira, 17 de julho de 2017

IMPERFEITO “AD AETERNUM”

    A esquerda, Massimo Busacca (diretor de arbitragem da FIFA) - e logo a direita Pierluigi Collina - foto - FIFA 

Se existisse árbitro de futebol perfeito, Damir Skomina (FIFA/ESLOVÊNIA), considerado um dos melhores apitos do futebol mundial, que dirigiu no último mês de maio, a partida final da Liga da Europa (UEFA), entre o Ajax x Manchester Unidet, não cometeria os equívocos que cometeu.  
Um outro exemplo clarividente da imperfeição do homem de preto, foi observado na decisão da Liga dos Campeões da UEFA, no confronto Real Madri x Atlético de Madri. Apitou o jogo em tela, Felix Brych (FIFA/ALEMANHA) - o árbitro número (1) da Bundesliga e selecionado no Ranking da UEFA entre os três melhores.  Brych, a exemplo de Skomina, tomou várias decisões em desacordo com o preceituado nas REGRAS DE FUTEBOL, que são universais.
No Mundial Sub-20 da FIFA, disputado na Coréia do Sul no mês de maio deste ano, a entidade internacional selecionou e capacitou para o aludido torneio, uma plêiade de apitos e assistentes de excelência, incluso o treinamento e a implantação do ÁRBITRO DE VÍDEO.
A qualidade das tomadas de decisões da confraria do apito que laborou no Mundial Sub-20, sofreu vários questionamentos e na nossa opinião oscilou entre o regular e o bom.
Na recém-findada Copa das Confederações da Rússia em junho deste ano, novamente a FIFA e seu Comitê de Arbitragem convocaram e requalificaram um time de primeira linha dos homens de preto -, incluído o ÁRBITRO DE VÍDEO. E mais uma vez, a imperfeição da arbitragem que é comandada por seres humanos, expôs suas deficiências com sérios equívocos nos jogos da indigitada competição.  
No Campeonato Brasileiro da CBF, a arbitragem não é e nunca será diferente das competições da FIFA e da UEFA - mesmo que todos os árbitros da (SENAF), sejam requalificados sistematicamente.
Por um motivo singular: O árbitro do futebol pentacampeão é humano –  e a exemplo dos demais congêneres dos diferentes Continentes do planeta, têm a intrínseca e sibilina missão de interpretar e aplicar as REGRAS DE FUTEBOL, de acordo com o seu espírito que é punir o infrator.
PS: Nem mesmo Pierluigi Collina, eleito seis vezes consecutivas o melhor árbitro do futebol mundial, conseguiu atingir a perfeição na sua brilhante carreira.  

sexta-feira, 14 de julho de 2017

CONMEBOL VAI INICIAR TREINAMENTO DO (AV)

                                                                Crédito - CONMEBOL   
  • O Site da Conmebol noticia que, o Comitê de Arbitros da  entidade Sul-Americana, definiu os días 19, 20 e 21 de julho próximo, para selecionar os árbitros que irão ser submetidos ao treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), objetivando a sua implementação nas competições da (CSF).  
  • Diferentemente da UEFA e da FIFA, que estão capacitando todos os apitos e bandeiras, o presidente do Comitê de Arbitros da (CSF) Wilson Luiz Seneme, afirmou que pensa diferente. Para Seneme, exercer a função de (AV), exige do candidato um perfil específico, afirmou. Um bom apito dentro das quatro linhas, pode não se aclimatar na função do (AV).
  • Segundo o site da Conmebol, o primeiro treinamento deverá acontecer no período de 12 a 20 de setembro deste ano em Luque, nas adjacências de Assunção, sede da instituição que comanda o futebol da América do Sul. Seneme anunciou também que, o treinamento aos selecionados obedecerá o Protocolo do (The IFAB).
  • A atitude da entidade que gere o futebol Sul-Americano no que concerne a capacitação dos homens de preto sobre o (AV), acontece com atraso - sobretudo, em relação a arbitragem europeia. Dentre os cinquenta e cinco filiados da UEFA, trinta e nove já receberam treinamento básico aos apitos e bandeiras de como manusear o ÁRBITRO DE VÍDEO.
  • E o atraso da Conmebol é verídico. No último mês de abril, a Confederação Asiática de Futebol, realizou um Workshop que teve como preletores, Massimo Busacca diretor de arbitragem da FIFA e Pierluigi Collina, presidente do Comitê de Árbitros da FIFA. Desde então, os asiáticos definiram imediatamente pelo início do treinamento do (AV) e dos árbitros assistentes adicionais. 
  • Em tempo: Acompanhe como estão os treinamentos à confraria dos homens de preto do futebol asiático clicando no link - http://www.the-afc.com/referees/additional-assistant-referees-begin-second-stage-of-preparation  
                                   



quinta-feira, 13 de julho de 2017

O MELHOR É O “ALEMÃO”

   Leandro Vuaden (o alemão), foi perfeito no Derby paulista


Aqui neste espaço já afirmamos várias vezes que a nossa opinião a respeito das decisões tomadas pela Comissão de Arbitragem da CBF, no que tange a arbitragem é similar a um “cuspe” no oceano.  
*Mas isto não nos impede de expressarmos nosso conceito, sobre as ações da indigitada comissão e, por extensão, analisarmos se a confraria do apito que labora nos torneios  da CBF, está ou não em consonância com as REGRAS DE FUTEBOL, e as diretrizes e/ou circulares da CBF e do (The IFAB)*.
Deixei o apito há duas décadas- mas tenho procurado manter-me atualizado não só em relação as regras e suas mutações, como também, acompanhando diariamente o modus operandi dos homens de preto do futebol detentor de cinco títulos mundiais. Se não fosse assim, não teria legitimidade para escrever absolutamente nada que concerne a arbitragem.
Concluído o preâmbulo acima, vamos aos fatos. A CBF implementou nesta temporada, uma norma que premia a cada rodada da Série (A), os três trios de arbitragem que apresentarem a melhor performance na direção dos jogos. E, ao final do Brasileirão, irá laurear com pecúnia o melhor trio da competição.
Se o critério estabelecido pela CBF tem por escopo escolher a trempe dos homens de preto, que interpretou e aplicou as regras de acordo com os preceitos do segundo parágrafo, na nossa opinião, está ocorrendo alguns equívocos.
Tenho observado em algumas rodadas, que aqueles que não erraram estão sendo preteridos em detrimento dos que estão se omitindo no cumprimento das leis que regem o futebol na relva. Esta é a verdade! Mas, quem vai continuar selecionando a tríade de apitos e assistentes, será a CA/CBF.  Resta saber, se o RANKING de arbitragem é para ser levado a sério.
PS: Questionado recentemente quem é o melhor árbitro do futebol brasileiro, o maior apito de todos os tempos do nosso futebol, Carlos Eugênio Simon, não tergiversou. Se estiver bem no pilar físico, o (alemão) é imbatível – alemão é como  Simon chama Leandro Vuaden em função da amizade entre ambos. Aliás, a performance de Vuaden no Derby, Palmeiras/SP 0 x 2 Corinthians, na quarta que passou, foi ESTUPENDA.
PS (2): Há quatro anos atrás, acompanhando um Workshop do diretor de arbitragem da FIFA, Massimo Busacca no Chile, ouvi a seguinte frase: “Não basta ser árbitro FIFA – tem que parecer ser árbitro da FIFA”.
PS (3): Portanto, o árbitro que tem o privilégio de ser contemplado com o escudo da FIFA, não pode permitir quando embuído na direção de um jogo, que atletas desaprovem com gestos e/ou palavras suas decisões reiteradamente. A REGRA 12 – Faltas e Incorreções, específica que o jogador que adotar tal prática, deve ser advertido com cartão amarelo e na reincidência com cartão vermelho. Tem árbitro FIFA no Brasileirão, tendo suas decisões desaprovadas durante e após o desfecho das partidas com palavras e tomando de dedo em riste. Praticar arbitragem preventiva é diferente da omissão.    

segunda-feira, 10 de julho de 2017

INDEPENDÊNCIA DA ARBITRAGEM É “UTOPIA”


Aos que não entenderam a nossa opinião sobre a SÉRIE ÁRBITROS, basta ler para entender as nossas colocações. Não há nenhuma afirmação de que somos contrários a exibição do aludido documentário. Quem entendeu assim, não soube interpretar o que leu. O que dissemos é que a série não entrou nas entranhas da arbitragem na sua plenitude. Ponto.
Quanto ao questionamento sobre o caminho a ser percorrido, para que a arbitragem seja independente das federações de futebol e da CBF, respondendo objetivamente, não vejo nenhuma condição dentro da atual conjuntura nesse sentido.
Quem sabe num futuro distante, com uma categoria com  mentalidade e ações totalmente diferenciadas da atual que só pensa em escala, a confraria do apito brasileiro consiga atingir o seu objetivo.
No que tange a pergunta sobre o modelo de sindicalismo que se pratica na arbitragem brasileira nos dias atuais, com raras exceções é um arremedo. Este “fenômeno” não é privilégio dos apitos e bandeiras – mas de todas as categorias trabalhistas do país.
Encontrar um sindicalista que ainda não foi cooptado pelo establishment político-sócio-econômico, com cargos, prebendas e sinecuras é similar a achar uma agulha num “palheiro”.
PS: A 12ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série (A), expôs o incremento de erros de interpretação e aplicação das Regras de Futebol pela arbitragem. Dado o restrito contingente de apitos e bandeiras, com estofo para comandar as partidas da primeira divisão, o principal torneio da CBF, é chegada a hora de a CA/CBF e a escola Nacional de Arbitragem de Futebol entrarem em ação. Uma avaliação criteriosa sobre as tomadas de decisões neste momento, seria benéfica.
  • PERGUNTAR NÃO OFENDE: O RANKING DE ARBITRAGEM IMPLEMENTADO PELA CBF É SÉRIO?
  • PERGUNTAR NÃO OFENDE (2): QUAIS SÃO OS CRITÉRIOS UTILIZADOS PELA CA/CBF, PARA SELECIONAR OS TRÊS MELHORES TRIOS DE ARBITRAGEM DA SÉRIE (A) do Brasileirão?

domingo, 9 de julho de 2017

SÉRIE ÁRBITROS ESTÁ INCOMPLETA

    Anderson Daronco (FIFA/RS) , é um exemplo  de dom, talento e vocação
  • A epígrafe que dá título à este articulado, vem sendo exibida pelo Globo Esporte aos domingos, e noticiou até agora, desde a formação do árbitro de futebol na federação de origem, sua preparação diária, escalas e deslocamentos aos locais aonde apitos e bandeiras são designados a atuar.
  • Elenco o que ainda não vi na série: 1) Que a atividade do árbitro do futebol brasileiro, foi reconhecida como profissional - mas, não foi regulamentada. 2) O que faz com que o árbitro, faça da arbitragem um “bico”. 3) Que a preparação do homem de preto do futebol pentacampeão, com raras exceções é realizada de maneira rudimentar. 4) não foi mencionado na série que, o candidato que se propõe a ser árbitro de futebol tem que  ser uma pessoa diferenciada.
  • 5) Notei a ausência de alguém que diga que, antes de aderir à esta função - é imperativo que o candidato faça uma análise se é detentor da troica dom, talento e, sobretudo, vocação. Pois do contrário, não deve aderir à esta sibilina carreira.
  • 6) Que a pecúnia paga à arbitragem no exercício do seu labor, na maioria das vezes, é incompatível com a responsabilidade atribuída à quem apita um jogo. 7) A carreira em questão é de curta duração - e são raríssimos aqueles que conseguem se projetar, diante do cenário nacional e internacional.
  • PS: Se forem mencionados na sequência as situações acima descritas, acredito que a SÉRIE ÁRBITROS atingirá seu objetivo. Pois do contrário, ficará um hiato e a realidade vivenciada pelo árbitro do nosso futebol será escamoteada.   
  • PERGUNTAR NÃO OFENDE: O RANKING DE ARBITRAGEM IMPLEMENTADO PELA CBF É SÉRIO?
  • PERGUNTAR NÃO OFENDE (2): QUAIS SÃO OS CRITÉRIOS UTILIZADOS PELA CA/CBF, PARA SELECIONAR OS TRÊS MELHORES TRIOS DE ARBITRAGEM DA SÉRIE (A) do Brasileirão?

sexta-feira, 7 de julho de 2017

O RANKING DE ARBITRAGEM DA CBF É SÉRIO?

  • Em função da nossa atividade profissional, deixamos de escrever neste espaço sobre o sibilino tema arbitragem durante alguns dias. Voltamos hoje e embora cientes de que a nossa opinião significa um “cuspe” no oceano, no que tange ao tomadas de decisões da confraria do apito, em consonância com as REGRAS DE FUTEBOL ou não no campo de jogo, discordamos veementemente da posição da Comissão de Árbitros da CBF, no que tange ao RANKING da arbitragem da 9ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol.
  • A CBF anunciou no início do Brasileiro a implementação de um RANKING, que avaliaria o desempenho da arbitragem da Serie (A)- e divulgaria os três melhores trios a cada rodada. O aludido RANKING com algumas nuances e de acordo com a discricionaridade e a prerrogativa da CA/CBF que seleciona os melhores, antes da rodada em tela, estava sendo elaborado dentro dos objetivos traçados pela comissão e, sobretudo, em conformidade com o desempenho dos apitos e bandeiras no que diz respeito ao preceituado nas regras.
  • Nossa discordância embora seja um “cuspe” no oceano, diz respeito a inclusão do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ) - que dirigiu Atlético/PR 1 x 0 São Paulo/SP, entre os três melhores da indigitada rodada.
  • Neste confronto, desde o primeiro minuto até o final, os atletas do Tricolor do Morumbi - usaram e abusaram de DISCORDAR das decisões da arbitragem com PALAVRAS E/OU AÇÕES. Foi uma arbitragem fraquíssima no quesito disciplina. Será que o RADAR da CA/CBF, copiou os atos de indisciplina dos atletas do São Paulo, e o desrespeito do referido árbitro com as REGRAS DE FUTEBOL e as Diretrizes da CA/CBF?
  • Será que o analista de campo daquele jogo, designado pela CBF, Afonso Vitor de Oliveira, relatou na íntegra (Animus narrandi) - a TOLERÂNCIA do árbitro Wagner Magalhães com a indisciplina e, por extensão, o desrespeito na observância das Diretrizes da CA/CBF?
  • Das duas uma: Ao selecionar Wagner Magalhães entre os três melhores trios de arbitragem da 9ª rodada, a CA/CBF dá sinais inequívocos de que o RADAR e o ANALISTA DE CAMPO, não observaram o que viram ou então se observaram e relataram, a referida comissão não está nem aí para as funções que ambos desenvolvem. E, por consequência, desmente parte do conteúdo da SÉRIE ÁRBITROS que foi veiculada pelo GLOBO ESPORTE.
  •  
  • PERGUNTAR NÃO OFENDE: O RANKING DE ARBITRAGEM IMPLEMENTADO PELA CBF É SÉRIO?
  • PERGUNTAR NÃO OFENDE (2): QUAIS SÃO OS CRITÉRIOS UTILIZADOS PELA CA/CBF, PARA SELECIONAR OS TRÊS MELHORES TRIOS DE ARBITRAGEM DA SÉRIE (A) do Brasileirão?
  • Crédito da foto: CBF


terça-feira, 4 de julho de 2017

CONTRATEM O OLHO DE FALCÃO

                                                                      Crédito - FIFA

O tema do momento no futebol em âmbito universal são as ações e os resultados do experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), no Mundial Sub-20 da FIFA, na Coreia do Sul e na Copa das Confederações, encerrada no domingo que passou na Rússia.
Há uma série de questionamentos se as intervenções do (AV) no evento da Coreia do Sul e da Rússia estão de acordo com o protocolo estabelecido pelo (The IFAB) em março de 2016.
A resposta é simples: O (The IFAB)) deixou clarividente quando autorizou o experimento do (AV), que tratava-se de um protótipo, que, nada mais do que um termo usado para se referir ao que foi criado pela primeira vez, servindo de modelo ou molde para futuras produções.
O que significa que toda e qualquer elucubração e/ou opinião sobre o assunto, pouco ou quase nada irá acrescentar na maneira de agir do The International Board, e do seu parceiro que está executando as experiências do (AV), considerado o melhor do mundo em diferentes modalidades esportivas, o sistema HAWK-EYE (olho de falcão).
Falando sobre o HAWK-EYE, quero agradecer ao diretor Ben Fraser, a resposta aos questionamentos que fizemos no último sábado (1/7), a respeito da dinâmica de observação, instalação, equipamentos utilizados e a implantação do aludido sistema quando contatado e, posteriormente, contratado. O contato foi efetivado, através do e-mail - ben.fraser@hawkeyeinnovations.com
Em função da especificidade de cada esporte de acordo com Fraser, o olho de falcão analisa milimetricamente cada experimento esportivo – e, após relatório elaborado por uma equipe de excelência, utiliza um mínimo de seis a vinte e oito câmeras, com altíssima capacidade de definição, caso específico do ÁRBITRO DE VÍDEO
PS (1): O HAWK-EYE participou e/ou está presente no Atletismo, Cricket, Rugby, Voleibol e no Tênis. Também atua no futebol na Bundesliga (Alemanha), KNV (Holanda), Premier League (Inglaterra), nas competições da UEFA e da Federação Portuguesa de Futebol. Atuou nos recentes torneios da FIFA - Mundial Sub-20 da Coreia do Sul e na Copa das Confederações da Rússia. E estará no Mundial de Clubes da FIFA, em dezembro deste ano no Japão.
PS (2): A CBF que realizou dois testes com o (AV) em parceria com a Federação de Futebol de Pernambuco -  sofreu vários questionamentos a respeito do local onde foram realizados os experimentos (como acomodações inadequadas, péssima iluminação no segundo estádio e ausência de treinamento correto às pessoas que manusearam o ÁRBITRO DE VÍDEO) e a tecnologia empregada.
PS (3): Diante dos infindáveis questionamentos que recebeu sobre os testes do (AV), seria de bom alvitre que a CBF detentora de cinco mundiais no futebol, realizasse o próximo teste do (AV), em um dos estádios que foram sede da Copa do Mundo no Brasil -  e contratasse aquele que é considerado o melhor sistema do planeta na área de tecnologia do esporte - o  HAWK-EYE, ou melhor: O OLHO DE FALCÃO!
CADÊ O ÁRBITRO DE VÍDEO?  No dia 22 de março deste ano em Estoril (Portugal), no FOOTBALL TALSK, o presidente da CONMEBOL, Alejandro Dominguez, solicitou autorização para implantar o experimento do (AV), a partir das oitavas de final da Copa Libertadores da América. Houve quem se empolgasse com a notícia, sobretudo, a confraria do apito Sul-Americano. As oitavas de final começou na terça-feira (4/7) e nada do ÁRBITRO DE VÍDEO.