segunda-feira, 2 de maio de 2016

Raio-X do apito

    Da esquerda para a direita Marcelo Van Gasse, Mark Geiger (EUA), Sandro Riccci (com a bola) e Emerson Carvalho na final do Mundial de Clubes da FIFA em 2013 no Marrocos - foto: FIFA.com

Coerência (1)
Foi coerente a decisão do Comitê de Arbitragem da FIFA ao designar o trio brasileiro de apitos, composto pelo árbitro Sandro Meira Ricci (FIFA/SC) e os assistentes Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Van Gasse, ambos (FIFA/SP),para representarem a arbitragem brasileira nas Olimpíadas.

Coerência (2)
Houve coerência porque o trieto em tela está atuando junto há um bom tempo e está familiarizado nas ações fora e dentro do retângulo verde. Participaram de boa parte do treinamento que antecedeu o Mundial de Clubes da FIFA no Marrocos e laboraram em alguns jogos, inclusive na finalíssima em 2013. Posteriormente, atuaram no processo de preparação do Mundial no Brasil e dirigiram algumas partidas na Copa de 2014.

Coerência (3)
É o que se espera da CA/CBF no sentido de explicar as novas determinações do Board em relação as REGRAS DO JOGO, no último dia 5 de março. Se não for explanada de maneira minuciosa à arbitragem que irá dirigir os confrontos do Campeonato Brasileiro a partir do próximo dia 14, não tenho dúvidas que vai dar “chabu”. Poderemos ter a repetição da pantomina da bola na mão ou mão na bola em 2014. Nunca é demais lembrar o furdúncio provocado por uma explicação inadequada e os critérios absurdos empregados pela confraria do apito na marcação do pênalti. Nem mesmo a presença “in loco” do instrutor da FIFA, Jorge Larrionda solucionou o imbróglio.

Coerência (4)
Outra atitude coerente que deveria ter a CBF e sua comissão de arbitragem, seria provocar uma vídeoconferência com os dirigentes, atletas, técnicos, cartolas e a imprensa no sentido de explicar detalhadamente as novas alterações emanadas do IFAB sobre as REGRAS DO JOGO. Em assim agindo, a CBF e a comissão de árbitros além de informar corretamente o modus operandi dos homens de preto a todos que irão participar do Brasileirão nas suas diferentes divisões, se eximiria de uma legião de reclamações que com certeza surgirão na sequência da competição.

Coerência (5)
É o que devem ter os membros do Comitê de Reformas do Futebol Brasileiro, ao propor o impedimento de dirigentes das federações de futebol, da Anaf, das associações e sindicatos de árbitros e/ou entidades sindicais na função de assessor ou delegado de arbitragem no Campeonato Brasileiro a partir do dia 14 de maio. A competição é organizada pela CBF. O regulamento é confeccionado pela CBF. Os estádios sofrem vistoria da CBF. A arbitragem é escalada pela CBF. Os assessores e delegados de arbitragem são designados pela CBF. O representante dos jogos é definido pela CBF. Em suma: quem manda e desmanda é a CBF, daí não se sustentar em hipótese alguma a tese de que a indicação dos ditos assessores e delegados é das federações. A continuidade da escalação dos “sindicalistas”, coloca sob suspeita a qualidade e a credibilidade do relatório sobre as decisões do árbitro, dos assistentes, do quarto árbitro e demais acontecimentos que ocorrerem no suprassumo da CBF que é o Brasileirão.
   
Coerência (6)
Foi o que demonstrou a Federação Paranaense de Futebol (FPF) na designação dos apitos e bandeiras, nas semifinais e na primeira partida decisiva do Campeonato Paranaense desta temporada. Enquanto algumas federações de futebol estão solicitando arbitragem de outros estados, a (FPF), apesar do pouco ou nenhum investimento que faz no seu quadro de árbitros está tranquila até o momento com gente da própria casa dirigindo a sua mais importante competição.  

Quem decide é o IFAB

                                                                       Foto: FIFA.com
No próximo dia 18 em Amsterdã (Holanda), a Federação Holandesa  de Futebol, promoverá um Workshop sobre o árbitro de vídeo (AV). Os holandeses que são os pioneiros no (AV), há dois anos estão testando a experiência fato amplamente reconhecido pela FIFA e o IFAB, na oportunidade, irão exibir ao mundo do futebol a empresa que está desenvolvendo a tecnologia empregada e gerando as imagens.

Também serão mostradas as partidas não oficiais onde foram testadas o (AV), os profissionais que fazem a análise do (AV) e  em quais situações de uma partida ele interferiu. Além disso, o treinamento que vem sendo realizado com o quadro de árbitros da KNVB. E, sobretudo, os resultados eficazes dessa ferramenta tecnológica no auxílio à arbitragem.

Porém, a decisão de tudo que você acabou de ler ou seja,  o campeonato e/ou torneio onde será executado e a época do experimento do (AV), a tecnologia, a geração das imagens, o treinamento da arbitragem, em quais situações o (AV) interferirá num jogo, quem terá a palavra final quando houver interrupção e/ou dúvidas (o árbitro da partida ou o AV), caberá exclusivamente ao IFAB, que decidiu na Reunião Geral Anual de Trabalho no último dia 5 de março, que uma universidade selecionada pelo Board irá acompanhar os testes. 
  
Portanto, o que tem se falado, escrito e ouvido a respeito do árbitro de vídeo em diferentes localidades deste planeta, principalmente no futebol brasileiro, não passa de [CONVERSA DE BOTEQUIM].

Arbitragem de excelência.
As semifinais do campeonato paranaense desta temporada expuseram  a extraordinária capacidade de superação do ser humano quando bem-intencionado. Após um início desastroso e com o afastamento de alguns apitos e bandeiras, que não se enquadraram dentro da filosofia de interpretação e aplicação das REGRAS DE FUTEBOL, nas semifinais, a trempe de apitos da Federação Paranaense de Futebol, Felipe Gomes da Silva, Leonardo Sigari Zanon e Rafael Traci realizaram trabalho de excelência nos jogos que comandaram. No comando do Atletiba na Arena, no domingo que passou, Traci foi perfeito.

domingo, 1 de maio de 2016

O melhor árbitro de futebol do planeta

                        Cüneyt Çakır o melhor árbitro de futebol do mundo na atualidade


Há muitos anos Cüneyt Çakır (FIFA/TURQUIA) é o mais completo árbitro do futebol europeu. Na última Copa do Mundo sua performance foi esplêndida, mas, o apito escolhido para a final entre Alemanha x Argentina foi o italiano Nicola Rizzoli. Talvez por ter como pátria a Turquia, país com pouca tradição no futebol internacional, Çakır é observado a distância pela grande mídia do Velho Continente.

Mas se a mass media esportiva europeia não dá o devido o valor ao árbitro turco, Pierluigi Collina, o diretor do Comitê de Arbitragem da UEFA, laureado seis vezes consecutivas pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol, como o melhor na modalidade do apito, reconhece as qualidades de Cüneyt Çakır.

Çakır comandou pela Champions League, na terça-feira (26/4), com requintes de fidalguia e eficiência, Manchester City x Real Madri – dada a excepcional fase que vivencia na sua trajetória na atualidade, a Uefa voltou a escalá-lo e na próxima terça (3/5), ele apita na Allianz Arena em Munique, o confronto da volta pela Champions League, entre Bayer de Munique x Atlético de Madri. O jogo em tela é o reconhecimento àquele que é o melhor árbitro de futebol do mundo na atualidade.

PS: Cüneyt Çakır é um dos pouquíssimos árbitros de futebol do planeta que, nos momentos de maior tensão numa partida mantém o seu equilíbrio intacto. É inteligente, frio, imparcial, às vezes, educado e polido, dependendo das circunstâncias, porém, é duro e enérgico nas tomadas de decisões.


sábado, 30 de abril de 2016

“CONVERSA PARA INGLÊS VER”

                                            Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Na palestra que proferiu na Semana da Evolução do Futebol Brasileiro na sede da CBF, na terça-feira (26), o ex-árbitro e atual comentarista de arbitragem Leonardo Gaciba (foto), sugeriu que a melhora na qualidade das tomadas de decisões do árbitro de futebol no Brasil, passa pela profissionalização da categoria.

Lembro que o Projeto de Lei Nº 6405/2002, que versava sobre a profissionalização do árbitro do futebol brasileiro, vagou pelas inúmeras comissões do Congresso Nacional em Brasília durante onze anos – e quando foi aprovado em outubro/2013, foi aprovado de maneira totalmente descaracterizada das reais necessidades que exigia a arbitragem. Alquebrado, o Decreto Lei Nº 12.867, especificou no seu conteúdo que a atividade do árbitro ficava reconhecida como profissional. Ponto.

Desde então nem a CBF, as federações de futebol, a Anaf, associações e/ou sindicatos deram um único passo no sentido de melhorar o indigitado decreto ou outra melhora de relevância. Pelo contrário: o que vimos de lá para cá, foi um enorme retrocesso.

Tanto é verdade que desde o reconhecimento da atividade do árbitro como profissional, não se criou um sindicato - que dirá a tão sonhada Federação Brasileira dos Árbitros de Futebol. Tanto é verdade o retrocesso, que no último mês de fevereiro, na consulta que fizemos junto ao Cadastro Nacional de Entidades Sindicais, órgão vinculado ao ministério do Trabalho e Emprego, apenas (3) sindicatos da classe dos homens de preto estavam ativos perante àquela instituição. Paraná, Rio G. do Sul e São Paulo.

Tanto é verdade o retrocesso, que a CBF em pleno século 21 escala no seu principal torneio, o Campeonato Brasileiro, para exercerem a importantíssima função de assessor e/ou delegado de arbitragem, dirigentes das federações de futebol, das entidades sindicais como Anaf, associações e sindicatos. Pergunto: Como é que os sindicalistas que foram eleitos para a lide sindical, irão confeccionar um relatório justo, equilibrado e tecnicamente correto se todos foram eleitos para reivindicar e defender os interesses da confraria do apito?

Tanto é verdade o retrocesso, que a CBF aboliu da sua principal competição, o Campeonato Brasileiro, os (AAA) Árbitros Assistentes Adicionais, sob a alegação de questões financeiras. Fato que está em flagrante descompasso com as normas do (IFAB).

Tanto é verdade o retrocesso, que a CBF explora a publicidade de duas multinacionais na indumentária dos apitos e bandeiras que atuam em todas as competições da entidade, e não repassa um único centavo aos homens de preto. 

Portanto, com o cenário vigente no futebol pentacampeão, falar em profissionalização da arbitragem brasileira, “É CONVERSA PARA INGLÊS VER”.       

sexta-feira, 29 de abril de 2016

A “BOMBA” VAI ESTOURAR NA CA/CBF (FINAL)


A maioria das finais dos campeonatos geridos pelas federações do futebol brasileiro iniciam neste final de semana. Quem teve paciência de ver pela TV, observou que o nível técnico do outrora melhor futebol do mundo caiu vertiginosamente. Alguns campeonatos apresentaram qualidade similar a de peladeiros que reúnem-se aos finais de semana para bater uma “bolinha”.

Além do nível técnico sofrível dos atletas, outro fato que me chamou a atenção foi o desempenho da arbitragem nos campeonatos em tela. Confesso que fiquei perplexo ao ver a adaptação dos homens que manejam o apito e as bandeiras ao nível de  mediocridade técnica dos jogos que comandaram. Quem teve paciência e viu pode falar, quem não viu não pode comentar.

Com raras exceções, confesso que nunca pensei que em pleno século 21, observaria o guardião das REGRAS DO JOGO, o árbitro - afrontá-las com tamanha eficácia. FOI UM HORROR!

Apesar da ausência do público, a TV mostrou a maioria dos  estádios vazios, da baixíssima qualidade técnica dos atletas e do desrespeito dos homens de preto as REGRAS DO JOGO, tem gente que está se regozijando, porque os árbitros da sua federação serão os responsáveis pela condução dos confrontos decisivos em âmbito local.  E há quem esteja festejando o fato de que este ou aquele apito da sua federação, foi requisitado para comandar as finais dos campeonatos de outros estados, o que atesta de maneira inexorável a mediocridade da arbitragem de várias federações do futebol pentacampeão.

Inclusive o melhor árbitro do futebol brasileiro de 2015, Anderson Daronco (FIFA/RS) - que foi omisso e conivente no lance mais violento do nosso futebol nesta temporada (no Gre-Nal), reprovado há poucos dias no teste teórico da CBF, prova que demanda conhecimento sobre as REGRAS DO JOGO, obteve nota (4,5), está escalado em diferentes competições.


PS: A maioria dos apitos e bandeiras das federações de futebol que você viu e verá atuarem nas finais das aludidas competições, e descumpriram com eficácia desproporcional as REGRAS DO JOGO nos campeonatos estaduais, serão designados pela CA/CBF a partir do dia 14 de maio, para comandar o suprassumo do nosso futebol, o Campeonato Brasileiro. [NÃO TEM JEITO: A “BOMBA” VAI ESTOURAR NA CA/CBF].

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Busacca comanda Workshop da arbitragem em Miami

    Massimo Busacca, está em Miami selecionando a arbitragem ao Mundial da Rússia - foto: Concacaf

Após a realização do primeiro Workshop de arbitragem para a Copa do Mundo de 2018, realizado em Doha no (Qatar), no período de 12 a 19 deste mês, a FIFA iniciou na segunda-feira (25), o segundo seminário envolvendo a arbitragem que vai até 29 do mês em curso. o Worksohp pré-seletivo de arbitragem para a aludida competição, está sendo realizado em Fort Lauderdale, na Flórida (EUA). Participam do indigitado seminário, os apitos e bandeiras da Concacaf e da Conmebol.

Os preparativos para o Mundial na Rússia a exemplo do que aconteceu em Doha, tem a presença das arbitras femininas que irão laborar na Copa do Mundo da categoria na França em 2019.

Massimo Busacca, o chefe de arbitragem da FIFA, comanda os trabalhos teóricos e prática especial. Além disso, os apitos selecionados participam de sessões em sala de aula, incluso nesta sessão que o árbitro deve fazer a leitura de cada jogo que irá dirigir.
  
Busacca também está enfatizando neste seminário como no anterior, o posicionamento, as análises de vídeos, bem como a arbitragem deve enfrentar os incidentes na área penal, espaço denominado de (área negra) - onde morrem a maioria das arbitragens. No campo os árbitros estão sendo submetidos a testes práticos e posicionados com os ritmos ou simulação do jogo, obtendo assim, feedback imediato sobre suas performances.

Parte da arbitragem que está participando do Workshop em Miami, irá atuar na Copa América Centenário (EUA 2016), a partir de 3 a 26 de junho próximo. O próximo Workshop dos homens de preto que compõe a elite da FIFA, acontecerá em setembro e envolverá a confraria do apito da UEFA.

O atual diretor de arbitragem da FIFA, Massimo Busacca apitou duas Copas do Mundo da FIFA (Alemanha em 2006 e África do Sul em 2010). Laborou na  Eurocopa de 2008, dirigiu a final da Champions League da UEFA em 2009, a final da Taça UEFA em 2007 e a Super/Taça Europeia em 2010.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

A "BOMBA" VAI ESTOURAR NA CA/CBF (2)

    Após o Gre-Nal deste ano onde foi permissivo com a violência, Anderson Daronco, tirou nota 4,5 no teste teórico da CBF - foto: Lauro Alves/Agência/RBS

No último dia 19 postamos aqui neste espaço a matéria com a  epígrafe que dá título à este articulado, só que com o número (1). Apesar das incompreensões e das críticas, tivemos coragem de relatar o que está acontecendo na arbitragem em âmbito nacional. Porque observando as diferentes competições neste início de temporada no futebol brasileiro, é visível que a confraria do apito não está se saindo a contento. Na mesma matéria dissemos que vai sobrar para a CA/CBF, porque a arbitragem que está laborando nos campeonatos regionais, copas e outros, com raras exceções será a que veremos no Campeonato Brasileiro.

Uma semana depois da nossa assertiva, explode a primeira “BOMBA” via site APITO NACIONAL – “todos os assessores e delegados de arbitragem da Federação de Futebol do Rio de Janeiro e da Federação Gaúcha de Futebol, foram reprovados no teste teórico da CBF. Assessores e delegados indicados pelas suas federações para exercerem a função no Campeonato Brasileiro. Função que tem por missão precípua confeccionar um relatório justo, equilibrado e tecnicamente correto conforme preceituado no manual das REGRAS DE FUTEBOL na (pág. 128) – das tomadas de decisões do árbitro, dos assistente e do quarto árbitro.

O mesmo site noticia que o melhor árbitro de futebol do Brasil de 2015, Anderson Daronco (FIFA/RS), no teste teórico realizado pela CBF, obteve nota 4,5 – os fatos aqui narrados corroboram as nossas inúmeras críticas, sobre a precariedade que existe nas federações de futebol no que tange a arbitragem. Aliás, Daronco foi o árbitro que permitiu o lance de maior violência nesta temporada no futebol brasileiro, por ocasião do Gre-Nal.

A reprovação dos assessores e delegados de arbitragem, acoplada ao desempenho pífio no teste das Regras de Futebol do melhor apito do ano passado, abre fenda de proporções gigantescas de desconfiança nas futuras tomadas de decisões dos homens de preto, no Brasileirão que terá início dentro de duas semanas.

Enquanto os cartolas, os clubes, a televisão, a CBF, as federações, os técnicos, os atletas e outros segmentos que atuam no futebol evoluíram 100% em todos os setores, o árbitro ficou circunscrito a brigar por escalas tal qual um “náufrago” em alto mar. Além do exposto, associações e sindicatos que representam a categoria com raras exceções, foram cooptadas vergonhosamente pelas federações e a CBF em troca de prebendas e sinecuras.

PS (1): Com o cenário que está latente aos olhos de todos não há dúvida: “A BOMBA VAI ESTOURAR NA CA/CBF.”

PS (2): O fato acontecido com Daronco, despertou nos homens que manejam o apito e as bandeiras na terra dos Pampas, a lembrança do trabalho de excelência que realizaram quando presidiram o SAFERGS, os ex-presidentes Carlos Eugênio Simon e Ciro Camargo.

PS (3): Na palestra que proferiu na terça-feira (26), na sede da CBF, na semana da evolução do futebol brasileiro, o ex-árbitro  de Portugal, Vitor Pereira, exibiu a extraordinária estrutura existente na Federação Portuguesa de Futebol no que diz respeito a formação e capacitação continuada do árbitro naquele país. São (38) centros de treinamentos equipados com instrutores e tecnologia de primeiro mundo - que tem a missão precípua de descobrir seres humanos que tenham no seu DNA o talento, a vocação e o dom para ser árbitro de futebol. O futebol brasileiro deu um tiro certeiro e ao mesmo tempo tomou uma lição pedagógica ao trazer Vitor Pereira neste evento. A arbitragem brasileira se houver vontade e inteligência dos seus dirigentes, e, colocar em prática parte do que falou o dirigente português, em curto espaço de tempo dará um salto qualitativo.  

segunda-feira, 25 de abril de 2016

O que fará a ANAF?

    Com uma atuação impecável, Leonardo Zanon é candidatíssimo a dirigir a final do Paranaense/2016.

A ação que solicita o direito de imagem à arbitragem que labora em todas as competições da CBF, sofreu algumas baixas antes de ser protocolada equivocadamente pela Anaf na Comarca de Recife (PE). Equívoco jurídico que até hoje não foi explicado pela Anaf.

Devolvida corretamente pelo Juízo de Recife à Comarca do Rio de Janeiro, sede da TV detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, a querela em tela, poderá ter novos capítulos nos próximos dias ou meses.

É sabido no seio dos homens de preto que um grupo que assinou a procuração num primeiro momento, assim que recebeu telefonemas de um segmento do futebol brasileiro, optaram em retirar as assinaturas e, por extensão, cancelaram seus nomes na ação  nominada.

Faço esta colocação porque, um ex-árbitro que reside no Rio de Janeiro, informou à este colunista que ficou sabendo por amigos que trabalham na televisão, que, assim que for notificada da ação da Anaf, que encontra-se numa das Varas Cíveis do Tribunal de Justiça/RJ, a TV deverá se posicionar contra a concessão do direito de imagem à arbitragem. E, por conseguinte, é dado como certo que a TV irá na “jugular” da CBF, objetivando neutralizar o andamento da referida ação. Se houver o afrouxamento da ação na Justiça, a Anaf e a confraria do apito brasileiro ficarão desmoralizados para reivindicar e/ou peticionar qualquer ação no futuro.

É um direito legítimo da TV se pronunciar contra – resta saber qual será o posicionamento da Anaf nesta questão. Até porque os valores financeiros dispendidos pela Anaf desde o momento em que a ação foi protocolada equivocadamente em Recife, até a presente data são altíssimos. E se houver desistência o que eu não posso acreditar que vá acontecer, o direito de imagem definitivamente terá o mesmo destino do direito de arena que foi ao BELELÉU.


As taxas e diárias estão defasadas
Com a inflação que ultrapassou a casa dos dois dígitos em 2015 e continua crescendo progressivamente mês a mês neste 2016, os homens que manejam os apitos e bandeiras da Renaf aguardam um posicionamento da Anaf junto a direção da CBF, no sentido de um reajuste nas taxas e diárias de arbitragem da categoria. A reivindicação é justíssima - sobretudo, porque a Anaf desconta sem exceção de todos os árbitros, assistentes e quarto árbitros que laboram em todas as competições da CBF, 3% das taxas e as associações e sindicatos são “contempladas” com 2%. Acrescente-se aos descontos, o percentual de 11% do INSS. Resumo da ópera: É chegado o momento da Anaf dar uma resposta aos seus associados, até porque, após o reconhecimento da atividade do árbitro como profissional em 2013, não houve nenhum avanço em benefício da classe.


O continuísmo nas comissões de arbitragem está "matando" o árbitro brasileiro

No último dia 19 de abril, noticiamos aqui neste espaço matéria com a seguinte epígrafe: A “BOMBA” VAI ESTOURAR NA CA/CBF –  e a respeito do árbitro Anderson Daronco afirmamos: Daronco (FIFA/RS), surgiu, subiu e está desaparecendo tal qual um cometa – ou melhor: está em queda vertiginosa. Também na mesma matéria afirmamos que Braulio da Silva Machado (Asp/FIFA/SC) e Rodolpho Tóski Marques (CBF-1/PR) - este último, considerado no ano que passou o melhor apito da Série (B) do Brasileirão, ainda não atingiram a maturação necessária e dependem de orientação, acompanhamento e cursos de capacitação para sabermos se reúnem as exigências de um árbitro top de linha como quer a FIFA. Agora acesse o link: http://www.apitonacional.com.br/noticias/fim-da-decoreba.html. Acessou? Então o leitor entenderá o porquê de termos feito o comentário que fizemos, em relação àquele que foi considerado o melhor árbitro do ano que passou do Campeonato Brasileiro. E também vai compreender os motivos das nossas críticas reiteradas contra os assessores e delegados de arbitragem.  


No Paraná a arbitragem se supera.
Em que pese o descaso com que é tratada, em que pese a ausência de investimentos financeiros, em que pese a falta de instrutores de excelência, de cursos de requalificação, de painéis, Workshop e de uma comissão de árbitros desgastada pelo continuísmo - a arbitragem do futebol da casa Gêneris Calvo, nas semifinais do Campeonato Paranaense equilibrou-se e teve comportamento impecável. Leonardo Sigari Zanon, o árbitro de Paraná Clube 1 x 0 Atlético/PR, teve uma atuação que não coube nenhuma contestação. Quem contestou, contestou por desconhecimento das REGRAS DO JOGO ou por má-fé.    

domingo, 24 de abril de 2016

Notícias do apito

      Wilson Seneme foi anunciado como o novo diretor da arbitragem da Conmebol

Arbitragem da Copa Sul/Minas/Rio (1)
Sobre a arbitragem da Copa Sul/Minas/Rio é importante esclarecer alguns fatores: 1) A competição não foi reconhecida pela CBF que se recusou a escalar a arbitragem para o aludido torneio e em várias manifestações a CBF considerou a competição amistosa. 2) Apenas as federações de Minas Gerias, Santa Catarina e da Bahia disponibilizaram árbitros num primeiro momento, Posteriormente, a Federação Gaúcha de Futebol liberou seus apitos e bandeiras. As federações de futebol do Paraná e do Rio de Janeiro não liberaram a arbitragem para o campeonato em tela.

Arbitragem da Copa Sul/Minas/Rio (2)
Premidos pela CBF e sem opções de uma arbitragem com um mínimo de qualidade, os dirigentes da Copa Sul/Minas/Rio, foram obrigados a buscar alternativas para o apito na Associação Nacional de Árbitros de Futebol (Anaf). Que incontinenti aceitou, mas, queiram ou não concordar, impôs uma condição intracorpórea: a cobrança do percentual de 0,5% da renda dos jogos à arbitragem, como direito de imagem para designar apitos e bandeiras para os confrontos da Copa.

O nível da arbitragem foi bom
Nos primeiros prélios a arbitragem escalada pela Anaf cometeu alguns equívocos crassos de interpretação e aplicação das REGRAS DE FUTEBOL. Com o desenrolar dos jogos a situação melhorou. Mas,  afirmar que o nível qualitativo atingiu níveis de excelência é banalizar o conceito de excelência. Até porque alguns árbitros e assistentes escalados no torneio são da segunda linha da arbitragem brasileira. Apesar do número diminuto de partidas e do nível técnico que foi baixíssimo, valeu como teste. 

O direito de imagem será pleiteado no Brasileirão?
Há uma ação conjunta da Anaf e de um número de árbitros ajuizada no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que solicita o direito de imagem aos árbitros que labutam no Campeonato Brasileiro. Ação que foi ajuizada equivocadamente na Comarca de Recife (PE) - e até hoje ninguém sabe o porquê. Diante do equívoco, a nominada ação foi devolvida ao Rio de Janeiro, sede da rede de televisão que detém os direitos da transmissão do Brasileirão. Mas nada impede que a Anaf entre num acordo com os clubes que disputarão o Campeonato Brasileiro, a exemplo do acordo celebrado com os clubes que disputaram a Copa Sul/Minas/Rio. E, por consequência, independente da ação judicial pleiteie o percentual de 0,5% aos homens de preto. A pergunta é: Por que a Anaf não oficializa formalmente os clubes sobre o fato? Já externamos nossa opinião sobre o tema. [O direito de imagem a exemplo do direito de arena - deve ser conduzido por especialistas na área jurídica e discutido exaustivamente no Congresso Nacional, local onde são decididas as principais questões em todas as áreas, sobretudo, na trabalhista]. A ação na JUSTIÇA é um salto no escuro. 

E a exploração das publicidades na indumentária?
A outra questão relevante à arbitragem está relacionada ao silêncio da Anaf no que diz respeito aos patrocínios exibidos nas mangas e nas costas das camisas dos apitos e bandeiras que laboram em todas as competições da CBF. O das mangas diz a FIFA: deve ser revertido em benefício exclusivo dos árbitros. Já a publicidade nas costas, implementada no uniforme a partir de 2015, é proibida pela FIFA. Mas mesmo assim, a CBF continua explorando e faturando muito dinheiro em cima da arbitragem. Quais os motivos que levam a Anaf a se manter omissa em relação ao tema?

Que mico!, que coisa feia......
Anunciado no dia 1º de fevereiro deste ano como o novo diretor de arbitragem da CONMEBOL veja no link -[http://sportv.globo.com/site/programas/bem-amigos/noticia/2016/02/wilson-seneme-e-o-novo-presidente-da-comissao-de-arbitragem-da-conmebol.html] -  o ex-árbitro brasileiro, Wilson Luiz Seneme, até o presente momento ainda não tomou posse. A trajetória de Seneme como árbitro da CBF e da CONMEBOL, é digna de respeito. Anuncia-lo de maneira açodada como dirigente sem combinar com quem está no cargo ficou ridículo. Aliás, este tipo de atitude é próprio do futebol brasileiro. Alemanha 8 x 1 Brasil.

Que tal “um pente fino “ nas associações e sindicatos?

Nos últimos dias pipocaram várias denúncias contra cooperativas de árbitros, sendo a mais notória a do Rio de Janeiro. Já imaginaram o “furdúncio” que o ministério Público do Trabalho Federal e a Procuradoria Geral Federal do Trabalho, provocarão na contabilidade dessas entidades se decidirem dar “uma geral” ? E se a mesma prática for efetivada nas contas das associações e sindicatos, que, gozam de várias isenções tributárias?. Já as cooperativas devem recolher tributos o que não vinha acontecendo com a do Rio de Janeiro. Dado os fatos noticiados nos últimos dias, em Brasília, comenta-se abertamente que uma das primeiras ações do novo governo será uma “devassa” na contabilidade das associações e sindicatos de todo o País.     

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Notícias do apito

Massimo Busacca, diretor de arbitragem da FIFA participando de um programa de esportes em Doha (Qatar)    

Heber é como vinho: quanto mais maturado melhor
Heber Roberto Lopes (foto/FIFA/SC) é recordista no comando de partidas da Série (A) do Campeonato Brasileiro (308) prélios - uma das competições mais complexas do futebol que se pratica neste planeta. Dirigiu mais de 200 jogos nas Séries (B, C e D) do Brasileirão É recordista em finais de campeonatos estaduais do futebol brasileiro, e, teve no ano de 2015 o seu melhor momento, quando dirigiu a final da Copa do Brasil e Copa Sul-Americana. Atingiu recentemente a expressiva marca de (98) jogos pela Conmebol/FIFA.

Heber é como vinho: quanto mais maturado melhor (2)
Com um curriculum de alto nível e com atuações de excelência, Roberto Lopes me faz lembrar a cada partida que apita a célebre frase de que o vinho quanto mais velho fica melhor de ser  degustado. Dificilmente o futebol brasileiro terá daqui para frente dois árbitros da magnitude de Heber Roberto Lopes e do ex-árbitro e atual comentarista da Foxsports, Carlos Eugênio Simon, os mais completos Referees do futebol pentacampeão. 

Contra fatos concretos não há argumentos    
Em relação as críticas reiteradas que tenho feito aqui neste espaço contra as entidades de classe da arbitragem brasileira,  é clarividente que não há nenhuma ação em benefício da categoria do apito há muitos anos. Bem como tenho reafirmado que, em função da cooptação exercida pelas federações de futebol e da CBF junto as entidades mencionadas, [Anaf, associações e sindicatos] com distribuição de cargos nas comissões, nas escolas de arbitragem e de assessor e delegado de arbitragem, fica subtraída qualquer independência dos sindicalistas para tomar atitudes em relação a confraria do apito. Publicar fato concreto não é injúria, calúnia e muito menos difamação. O resto é trololó.

Não há projeto para contrapor
O que os sindicalistas deveriam ter feito e não fizeram até a presente data - é reunir as cabeças “pensantes” e elaborar um projeto aceitável em oposição ao modelo anacrônico vigente na arbitragem brasileira. Projeto que nunca teve e não tem desde que surgiu a Associação Nacional de Árbitros de Futebol (Anaf). Primeiro tem que se organizar na questão dos sindicatos que possuem a Carta Sindical e tentar resolver as pendências junto ao ministério do Trabalho e Emprego. É vergonhoso à uma categoria de tamanha importância no contexto do futebol, como é o árbitro, ter apenas três sindicatos ativos perante o ministério do Trabalho – Paraná, Rio G. do Sul e São Paulo.
  
Missão para sacerdote
Equacionado a questão dos sindicatos que não está difícil, basta designar as pessoas certas para resolverem o problema, formata-se o projeto que deve ser elaborado com a participação de renomados juristas para não sofrer inconstitucionalidade ou futuros óbices e exibe-o à imprensa, as federações de futebol e a CBF. E a partir de então, gradativamente vai implementando o projeto. Fácil de fazer não é – acredito ser missão para pessoas com vocação sacerdotal - porque todos são contra os homens de preto. Mas se ficar em estado de letargia e trabalhando para o sistema, a arbitragem nunca sairá de onde está. E continuará ad aeternum vivenciando o subdesenvolvimento e ocupando a última classe e o último vagão do futebol.

Um Drone para monitorar a arbitragem
No primeiro pré-seminário da arbitragem para a Copa do Mundo da Rússia em 2018, realizado no período de 12 a 15 de abril, em Doha no (Qatar), com os apitos e bandeiras da Confederação Asiática, Confederação Africana e da Oceania, Massimo Busacca, o chefe de arbitragem da FIFA, utilizou este Drone (foto), que foi desenvolvido especificamente para analisar as tomadas de decisões e os movimentos da arbitragem no campo de jogo. Jorge Larrionda, diretor da Associação de Arbitragem do Uruguai e membro do Comitê de Arbitragem da FIFA, foi o único Sul-americano que participou do aludido seminário. Já a confraria do apito da Conmebol e da Concacaf foram convocados para o pré-seminário de 25 a 29 de abril em Miami (EUA). A arbitragem da UEFA será testada em setembro próximo.

                            Fotos: FIFA.com
KNV sai na frente (1)
Nesta sexta-feira (22), o International Board (IFAB) expediu convite as associações, confederações e federações de futebol filiadas a FIFA e interessadas na execução do experimento do árbitro vídeo (AV) - para o primeiro seminário que será realizado em Amsterdã (Holanda), nos dias 18 a 20 de maio próximo. O evento será organizado pela Royal Netherlands Football Association (KNVB), que irá demonstrar como estão sendo efetivadas as experiências e a tecnologia relacionada ao (AV) e como funciona.

KNV sai na frente (2)
Ao longo do workshop, os organizadores do evento terão a oportunidade de aprender mais sobre as experiências-incluindo  e observando experiências 'offline' em ação em um jogo de playoff (em local a ser confirmado), bem como receber uma apresentação sobre soluções tecnológicas disponíveis por diferentes fornecedores de tecnologia. Uma experiência on-line representa um ensaio em que um (AV) pode se familiarizar com o set-up.  Também pode avaliar replays de vídeo e chamadas de prática  sobre incidentes de mudança de jogo, mas sem se comunicar com o árbitro. Isto significa que não haverá nenhum impacto no jogo, ao contrário durante uma experiência ao vivo, Quando os árbitros se comunicam uns com os outros e o árbitro pode tomar decisões com base em informações fornecidas pelo (AV).

KNV sai na frente (3)
A KNVB vem realizando experiências off-line desde 2013 e suas descobertas ajudaram a Sub-Comissão Técnica do IFAB em conjunto com o setor de Tecnologia do Departamento de Inovação de Futebol da FIFA, a elaborar um protocolo detalhado de implementação que os organizadores da competição que participam das experiências do IFAB sancionados são obrigados a seguir. Acompanhe no link a seguir a experiência do (AV) realizada na partida Feyenoord x sc Heerenveen. http://www.knvb.nl/nieuws/themas/arbitrage-20/18017/knvb-gastheer-conferentie-video-assistent-fifa

Hawk-Eye na Euro/2016
A Eurocopa deste ano que será realizada na França a partir de 10 de junho, terá além dos (AAA) árbitros assistentes adicionais que estão inseridos nas REGRAS DE FUTEBOL, o sistema Hawk-Eye (olho de falcão) em todos os jogos. O Hawk-Eye foi a primeira empresa a receber licenciamento na Goal-Line Technology (GLT) da FIFA. Seu sistema é utilizado com 100% de eficácia na Premier League (Inglaterra), Bundesliga (Alemanha), no Campeonato Italiano e na recente Copa do Mundo Feminina da FIFA em 2015 no Canadá.


Falta uma para a centésima partida
Na próxima quinta-feira (28), em Quito (Equador), Heber Roberto Lopes (FIFA/SC), comanda a partida de nº 99 pela Conmebol – Independiente Dell Valle (Equador) x River Plate (Argentina). 

PS: Aqui neste espaço afirmei inúmeras vezes que a FIFA e o IFAB reconheceram a experiência do (AV) árbitro de vídeo que vem sendo desenvolvida pela (KNVB) com precursor. Tanto é verossímil a afirmação que, na 130ª Reunião Geral Anual do Board, realizada no último dia 5 de março em Cardiff, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, reconheceu publicamente o trabalho desenvolvido pela KNVB.