segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Cenário doloroso em 2015 (2)

O Árbitro Adriano Milczsvki, foi eleito no sábado que passou (22), para comandar os destinos da associação dos árbitros que labutam na (FPF) Federação Paranaense de Futebol, no biênio 2015/2016. Nunca é demais lembrar que as associações não são reconhecidas pelo ministério do Trabalho e Emprego, onde existe sindicato como é o caso do Paraná.

Além do exposto, as associações não encontram respaldo jurídico na (CLT) e muito menos na Constituição Federal, no seu artigo 8º. E, por derradeiro, Milczsvki, a exemplo do seu antecessor Roberto Braatz, vai gerir uma organização que dado o não reconhecimento pelos organismos acima nominados, não terá direito a voto na criação da futura Federação Brasileira dos Árbitros de Futebol.  
 Heber Roberto Lopes (Fifa/SC), o melhor árbitro do futebol paranaense de todos os tempos
Portanto, a confraria dos homens de preto do futebol paranaense, que há oito anos vivenciam um “miserê” qualitativo sem precedentes no quadro de arbitragem, sobretudo, nos últimos dois anos em âmbito nacional, se almejam dias melhores deve pensar em possíveis alternativas para sair da “débâcle” que está mergulhada.

A prova inexorável da ausência da qualidade do quadro de árbitros da (FPF), está refletida no próprio Adriano Milczvski. Embora seja membro da (Renaf) Relação Nacional de Árbitros de Futebol/CBF, há um bom tempo, nesta temporada não dirigiu uma única partida da Série (A) e nem da Série (B) do Campeonato Brasileiro do ano em curso. Seu congênere Edivaldo Elias da Silva, apitou um jogo da Série (A) do Brasileirão este ano.

PS: O relato doloroso que se faz, tem como objetivo “despertar” a categoria dos apitadores da (FPF), do estágio de “letargia” que atingiu toda a classe. E, que se pense em medidas concretas, que propiciem no futuro à arbitragem da terra dos pinherais, voltar a atuar em âmbito local, nacional e internacional, a exemplo de Evandro Romam e Heber Roberto Lopes.
    

domingo, 23 de novembro de 2014

A democratização do (IFAB)

  • Só não muda de ideia quem não tem ideias. Foi pensando nas transformações do universo e na forma como o futebol está se desenvolvendo em todo o planeta, que o presidente da Fifa Joseph Blatter, criou dois Painéis Técnicos de Excelência, formado por ex-atletas, técnicos e dirigentes de futebol. 
  •  
  • Esses painéis reunir-se-ão duas vezes por ano e terão como missão principal, subsidiar a (IFAB) International Football Association Board e a Fifa, sobre o desenvolvimento do futebol e, por consequência, da arbitragem nos cinco Continentes. Além do trabalho de observação, os membros do Painel Consultivo Técnico, terão a missão de contribuir com sugestões ou experimentos que possam otimizar as Regras de Futebol. 
  •  
  • O Painel Consultivo Técnico designado por Blatter, foi constituído assim:  Neale Barry (The FA/Inglaterra), Jean-Paul Brigger (Fifa), Massimo Busacca (Fifa), William Campbell (FA Irlandesa), Lim Kee Chong (Ilhas Maurício), Pierluigi Collina (Diretor de Arbitragem da Uefa), Sonia Denoncourt (Diretora de Arbitragem da Concacaf), David Elleray (Inglaterra e diretor do Centro de Excelência de formação de Árbitros da Uefa), Ray Ellingham (FA Galense), John Fleming (FA Escocesa), Mark Hester (Diretor de Arbitragem da OFC), Jorge Larrionda ( Comitê de Arbitragem da Fifa), Yoshimi Ogawa (Diretor de Arbitragem da AFC)e Manoel Serapião Filho (Diretor do pilar técnico da Enaf, instrutor Conmebol e CBF do Brasil).
  •  
  • O primeiro evento será realizado nesta segunda-feira (24) e terça-feira (25), no Hotel Europa em Belfast, Irlanda do Norte. O objetivo da (IFAB) é preservar as Regras do Jogo, supervisionar a sua aplicação, estudá-las e, eventualmente, modificá-las. E para isso, foram formados dois novos painéis consultivos - de Futebol e o Técnico -, criados para apoiar a (IFAB) antes da tomada de decisões finais com mais competência.
  • Na revista da Fifa desta semana, disponível em inglês, Joseph Blatter destaca que a medida visa a democratização do (IFAB), instituição criada em 1882 pelas quatro associações britânicas (Escócia, Inglaterra, Irlanda e País de Gales).
  • As sugestões discutidas na reunião em tela serão lavradas em ata, e, na próxima Reunião do (IFAB) que será efetivada de 28 de fevereiro a 2 de março de 2015, em Belfast (Irlanda), analisadas pelos membros do The International Board.
  • PS: A indicação do instrutor brasileiro da Conmebol/Fifa/CBF Manoel Serapião, para participar de evento de tamanha magnitude, é um prêmio a sua personalidade impoluta, ao seu empreendedorismo, associada a sua determinação e disciplina na trajetória de mais de três décadas a frente da arbitragem brasileira. 
  •  
  • PS (2): Wilmar Roldán (Fifa/Colômbia) está fora do Mundial de Clubes da Fifa no Marrocos. Seu substituto será Enrique Osses (Fifa/Chile). Um dos assistentes de Roldán, Eduardo Diaz foi reprovado no teste físico e, por conseguinte, como na Fifa não tem o famoso "jeitinho", a entidade internacional desligou todo o triunvirato de arbitragem colombiano.    
 

Bandeirinha elogiada pela CBF vende panquecas para complementar renda

A vida de bandeirinha não é fácil. Não há salário fixo e as escalas não são constantes. "Tem mês que faço cinco jogos, tem mês que são apenas dois, então é preciso ter uma outra fonte de renda", diz Tatiane Sacilotti, de 29 anos, uma das duas paulistas que pertence ao quadro de árbitros da CBF.
Para melhorar a renda, não bastava dar aulas de hidroginástica em uma clínica de fisioterapia. Resolveu então juntar o útil ao agradável e, juntamente com a mãe Antonieta, montou a Casa das Panquecas. Que é a sua própria casa. "É um serviço de entrega. Nós temos 29 sabores, entre salgados e doces", conta.
 
A paixão por comida é explicada, segundo Tatiana, pela ascendência italiana. "A gente gosta muito de comer e de fazer, então é gostoso demais. Eu e a mãe preparamos na hora, não tem nada de congelado e meu irmão e meu padrasto entregam".
 
A ideia veio de uma conversa com Sara, a pastora da igreja que Tatiane frequenta na cidade de Cachoeira. "Antes, eu tinha o 'espetinho da bandeirinha', mas não deu certo porque era um estabelecimento comercial e eu tinha de ficar lá. Agora, não. É só receber o telefonema, fazer e entregar. Está dando certo porque é uma opção nova, em cidade pequena sempre tem lanche ou pizza, nós somos uma novidade". Frango com catupiry e bacon, banana com canela e morango com chocolate são as mais pedidas. 
 
Tatiane é uma das duas bandeirinhas paulistas – junto com Maisa Teles – que consegue passar nos testes físicos da CBF. Outras seis foram reprovadas.
 
Para isso, submete-se a uma rotina diária de muitos treinos físicos. Eles foram passados por Rogério Zanardo, árbitro e preparador físico. Tatiane trabalha diariamente, na companhia de Wladimir Nunes, amigo e colega de trabalho. "Ele me puxa muito, não deixa que eu desanime. Treinar com homem exige mais e faz com que eu melhore sempre", diz.
 
Na pista, ela corre oito quilômetros diariamente. São muito piques de 100, 150, 200 ou 300 metros. Mais do que é exigido no teste. "A gente puxa mesmo, vai além do que é pedido para não se surpreender no dia da avaliação. Minha sorte é que o Zanardo é amigo e fez esse plano de trabalho sem cobrar nada. Além da pista, também faço muita ginástica na academia"
 
O teste físico masculino tem seis tiros de 40 metros. Cada um precisa ser feito em 6,2 segundos. Em seguida, são 20 tiros de 150 metros, com tempo de 30 segundos. A recuperação entre um tiro e outro é de 45 segundos. É o que se chama de recuperação ativa, pois o árbitro vai caminhando até o local de um novo tiro. 
 
Para as mulheres, as distâncias são as mesmas, mas há mais flexibilidade nos tempo. Para 40 metros, pode-se gastar 6,6 segundos, para 150 metros, 35 segundos, com uma recuperação ativa de 50 segundos.
 
"Na Federação Paulista, aceitamos mulheres desde que passem pelo teste feminino. Não fazemos questão do masculino, que é muito puxado", diz Marcos Marinho, responsável pela arbitragem. "Preferimos aprimorar a parte técnica. Nossas auxiliares são ótimas e poderiam apitar para a CBF, sem dúvida".
 
Antonio Pereira da Silva, responsável pela arbitragem da CBF, é adepto do teste único. "O jogo é o mesmo, não interessa se é homem ou mulher, todos precisam ter o mesmo nível físico. Gosto da atuação das auxiliares. Estão muito bem".
 
Tatiane prefere não falar em justiça. "Olha, eu não penso nisso. Sei que tem um teste, que tem um desafio e eu corro atrás. Não vou ficar pensando se é justo ou não. É um sonho que tenho de infância e que estou alcançando".
 
Quando disse à mãe que gostaria de ganhar a vida apontando impedimentos, Tatiane se surpreendeu com a resposta. "Ela me apoiou na hora. Nem acreditei, acontece que a minha mãe nem gosta de futebol. Mas assiste todos os meus jogos. Ela exige silêncio na sala e fica roendo as unhas. Fica brava quando dizem que eu errei, mas ela não sabe se estava certo ou errado. O apoio dela foi muito bom".
 
Foi em 2003, após ver um jogo entre Guarani e São Paulo, que Tatiane descobriu qual seria sua profissão. "Naquele jogo, estavam trabalhando a Silvia Regina, a Ana Paula de Oliveira e a Aline Lambert. Para mim, foi amor à primeira vista".
 
Tatiane tem 1,60m e não tem medo de cara feia. Nem se for de Alessandro, ex-lateral do Corinthians, por exemplo. "Ele reclamou muito de uma marcação minha. Eu pedi para ele se acalmar e coloquei a mão no peito dele. Então, ele me deu um tapa, mas foi de leve, nem relatei para o árbitro."
 
Leia mais em - http://esporte.uol.com.br/futebol - Matéria realizada pelo jornalista Luis Augusto Simon
Do UOL, em São Paulo

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Árbitras posam para exposição na Itália

“Corpo arbitral” é o nome de uma exposição que será realizada neste final de semana em San Giovanni Valdarno. Cinco árbitras de futebol posaram para imagens sensuais pelas lentes do fotógrafo amador Paulo Melani. As fotos serão exibidas em um evento na cidade localizada na Toscana, Itália. A venda do material ajudará na associação local da arbitragem. {Fonte: http://globoesporte.globo.com/platb/meiodecampo}
reprodução
reprodução
reprodução


reprodução

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Cenário doloroso em 2015


  • O endereço eletrônico, http://www.cbf.com.br/arbitragem/escala-arbitragem/brasileiro, retrata com exatidão a penúria que vivenciam os membros do quadro de árbitros da (FPF) Federação Paranaense de Futebol, que pertencem a (Renaf) Relação Nacional de Árbitros da CBF. Pelo segundo ano consecutivo, 2013 e 2014 a CA/CBF no que tange a Série (A) - “esqueceu”  nossos homens do apito no “freezer”. Não fora a presença do carioca Felipe Gomes da Silva, que já veio com o escudo de (Asp/Fifa/RJ), e é funcionário público federal lotado em Foz do Iguaçu, os juízes e bandeiras da (FPF) que compõe a Renaf estariam alijados da Série (A).

  • Num passado recente o futebol do Paraná teve dois árbitros -(apito) no quadro da Fifa. Mas, por falta de planejamento e de uma escola de formação de árbitros de excelência, com discernimento para descobrir novos talentos com vocação para o mister, quando 2015 chegar, a (FPF) iniciará a terceira temporada sem um árbitro no quadro da entidade internacional. Enquanto isso, a Federação Gaúcha de Futebol tem dois árbitros na Fifa e um Asp/Fifa.  

  • Em que pese o futebol paranaense ter dez árbitros na (Renaf), a CA/CBF só designa para dirigir partidas na Série (A) do Campeonato Brasileiro, Felipe Gomes da Silva. Perguntei a um interlocutor no Rio de Janeiro, os motivos pelos quais os demais árbitros paranaenses não são sequer inseridos nos sorteios da Série (A), e a resposta foi tonitruante: Falta qualidade. O Paraná perdeu qualidade quando Evandro Rogério Romam e Heber Roberto Lopes deixaram a (FPF).
  •    
  • Além de perder as duas vagas de árbitro na Fifa em 2012, não há a mínima perspectiva de que a (FPF) recupere a curto e médio prazo o que perdeu. Há oito anos ininterruptos sob a “regência” de Afonso Vitor de Oliveira, o setor de arbitragem da casa Gêneris Calvo não revelou um único árbitro. Pelo oitavo ano consecutivo, o futebol paranaense não tem um Asp/Fifa nato. O que tem já aportou aqui com o escudo direto da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro.  
  •     
  • Sem projeto e sem perspectivas de melhora, o quadro de arbitragem da (FPF) está “inchado” e a persistir a situação vigente, restará àqueles com potencial elevado, dirigir jogos promovidos pela (FPF) e os torneios de pelada das empresas de refrigerantes e cerveja.

  • PS: Quanto a representatividade política da Federação Paranaense de Futebol perante a CBF, é importante lembrar que há muito tempo deixou de existir. 
  •  
  • PS (2): Arnoldo Vasconcelos Figarela (CBF-2/RO), o árbitro de Atlético/PR 1 x 1 Santos/SP, demonstrou qualidades que faltam na arbitragem da Federação Paranaense de Futebol que compõe a (Renaf). Dirigiu a nominada partida de maneira simples, deslocou-se de forma gradativa em todos os espaços do retângulo verde e, quando necessário, sem espalhafato puniu os infratores. Belíssima arbitragem.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Busacca comanda seminário em Doha.

Massimo Busacca durante palestra no seminário de arbitragem no Qatar

Dez árbitros da Ásia, nove da África e três da Oceania, foram convocados pela Fifa para  participarem no período de 10 a 14 de novembro que passou, do segundo seminário de arbitragem da entidade que controla o futebol no planeta, em Doha no (Qatar), com vistas a Copa do Mundo de 2018 na Rússia.
O segundo seminário da instituição internacional, foi comandado a exemplo do primeiro no Chile em outubro, pelo diretor de arbitragem Massimo Busacca (foto).
A didática empregada aos juízes e bandeiras no país Asiático teve a mesma dimensão do primeiro seminário. Árbitros e assistentes estão sendo preparados desde já com sessões teóricas em sala de aula, bem como com treinamentos práticos no campo de jogo.
Na sua exposição à confraria do apito internacional, Busacca enfatizou a importância da arbitragem saber fazer a leitura do jogo que vai dirigir e, principalmente, os cuidados especiais que devem ser tomados no interior da grande área (área penal) - local onde “morrem” a maioria dos árbitros.
Além do exposto, foram exibidos vídeos e treinados exaustivamente posicionamento e os incidentes imagináveis e inimagináveis que podem acontecer dentro da área penal.
O “temível” teste físico  padrão Fifa, que tornou-se um tabu para os árbitros e assistentes da CBF, com sprints de 40 metros, os vinte tiros de 150 metros e o teste Yoyo dominaram o final do aludido seminário. Também foi distribuído aos árbitros que estavam no evento o Feedback. Essa ferramenta é vídeo com uma revolucionária tecnologia, onde consta as inúmeras situações vivenciadas pelo árbitro e assistentes numa partida.
O seminário em tela, também contou com a presença das 56 árbitras femininas selecionadas para a Copa do Mundo de Futebol da modalidade, que será realizada em 2015 no Canadá.
A última etapa do seminário do ano em curso, será efetivada aos árbitros e assistentes da Uefa, nesta semana na sede da Fifa em Zurique.
Já para o ano que vem é desejo do Comitê de Árbitros da Fifa, a partir de fevereiro realizar uma série de seminários sem aviso prévio. Ou seja, a Fifa poderá convocar os pré-selecionados a qualquer momento e aplicar os quatro testes anuais sem avisar ninguém.  

domingo, 16 de novembro de 2014

Incrível: "Eles" desconhecem a lei!

Fundada em out/1986, a (Apaf) Associação Profissional dos Árbitros de Futebol do Paraná, especificava num dos artigos do estatuto da entidade à época que, logo a seguir seria viabilizado o sindicato da categoria dos homens de preto do futebol paranaense. 

Vinte e oito anos se passaram e desde então, o grande “acontecimento” que ocorreu na (Apaf), foi o “desvio” de R$ 363.714.03 (trezentos e sessenta e três mil, setecentos e quatorze reais e três centavos). O "desvio" em tela foi perpetrado no período de 1997 a 2003.

Um personagem que é membro da Comissão de Árbitros da (FPF) Federação Paranaense de Futebol atualmente, à época do “escândalo”, ocupava a vice-presidência da associação da confraria do apito da terra das araucárias. Questionado por este colunista em duas oportunidades sobre os fatos, o ex-vice alegou desconhecê-los na sua plenitude.

Nunca é demais lembrar que a associação dos árbitros do futebol paranaense, a exemplo das suas congêneres que existem pelo País afora, não são reconhecidas pela Constituição do Brasil no seu Artigo 8º - como também pela (CLT) Consolidação das Leis do Trabalho, e não tem assento junto ao ministério do Trabalho e Emprego. O mesmo artigo veda a criação de outro sindicato para a mesma categoria no mesmo território.   

Digo isso porque, o estado do Paraná já possui um sindicato de árbitros de futebol, que é presidido pelo ex-árbitro Airton Nardelli. Foi Nardelli quem fundou o sindicato e tem a Certidão de Registro Sindical (Carta sindical), dos homens do apito da casa Gêneris Calvo.

Conhecedores das leis vigentes da República Federativa do Brasil, e do não reconhecimento da associação diante dos organismos acima nominados, “estranhamente”, a atual diretoria da (Apaf), convocou os árbitros da (FPF) em dia com a associação, para uma nova eleição da entidade no próximo dia 22.

O Decreto Lei nº 12.867, de 11 de outubro de 2013, reconheceu a atividade do árbitro do futebol brasileiro como profissional. E toda categoria profissional só pode ser representada pelo sindicato, a não ser que ele não exista.

PS: Em função do decreto especificado, em 2015, teremos a fundação da Federação Brasileira dos Árbitros de Futebol. Inclusive, nos dias 28 e 29 do mês em curso, em Salvador (BA), acontecerá a XXXVI Assembleia Geral Extraordinária e Ordinária da Anaf, que irá debater inúmeras questões. Dentre elas, a situação dos sindicatos que ainda não possuem a Certidão de Registro Sindical.

PS (2): E, por derradeiro, na fundação da futura Federação Brasileira dos Árbitros de Futebol, só terão direito a voto os sindicatos, que estiverem rigorosamente em dia com suas obrigações perante o ministério do Trabalho e Emprego. É a lei!

PS (3): Portanto, a pergunta que se faz é: Quais são os motivos que levam Roberto Braatz, candidato a reeleição da (Apaf) e seu oponente Adriano Milczvski, a trilharem um caminho que comprovadamente está em descompasso com a Constituição brasileira e a (CLT)?


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Conmebol definiu arbitragem

A  Comissão de arbitragem da(Conmebol) Confederação Sul-Americana de Futebol, presidida pelo membro do Comitê de Árbitros da Fifa, Carlos Alarcón, divulgou os árbitros que irão dirigir as semifinais da Copa Sul-Americana de Futebol, cujo campeão tem vaga assegurada na Copa Libertadores de 2015.

O jogo de ida em Medellin, entre Atlético Nacional (Colômbia) x São Paulo (Brasil), dia 19 próximo, será comandado pelo uruguaio Daniel Fedorczuck. Já a partida de volta, dia 26, será disputa no Morumbi e será dirigida pelo equatoriano Roddy Zambrano.

A outra semifinal envolvendo Boca Juniors x River Plate, ambos da Argentina,terá no apito dois árbitros argentinos. A peleja de ida dia 20, na La Bombonera, terá como árbitro, Silvio Trucco. O confronto da volta no dia 27, no Monumental de Núñez, vai ser dirigido por German Delfino. 
Foto: Conmebol