sábado, 30 de setembro de 2017

MINDFULNESS PARA MINIMIZAR A “DESGRAÇA"

    Marcos Marinho é o presidente da CA/CBF - Crédito: CBF

Observando a “desgraça” que a arbitragem brasileira que atua no Campeonato Brasileiro da CBF, nas Séries (A) e (B), causa sistematicamente  com seus erros de interpretação e aplicação das REGRAS DE FUTEBOL, aos clubes que disputam essas competições, lembrei-me de uma entrevista que li na revista Planeta, no último mês de agosto, que noticia a prática do  Mindfulness - https://www.revistaplaneta.com.br//com-o-mindfulness-os-policiais-passam-agir-e-nao-reagir/
Que significa em português “Atenção Plena” ou “Consciência Plena” - o Mindfulness é utilizado pelas principais multinacionais de todo o planeta, que buscam um alívio para o estresse do dia a dia dos seus funcionários. O intuito do uso do Mindfulness, visa ajudar a melhorar a capacidade mental do ser humano – e, como ferramenta no auxílio e incremento da produtividade, do homem no seu labor.
Além das multinacionais, a prática do Mindfulness vem sendo utilizada pelas policias dos EUA, Canadá, Brasil e pelas guardas municipais de diferentes regiões do território brasileiro.
Fica a sugestão do Mindfulness à CBF para que diante da escalada interminável de erros de arbitragem nesta temporada seja minimizada – erros como o acontecido no Corinthians/SP x Vasco da Gama/RJ, quando o (AAA), não viu Jô do clube mosqueteiro, usar o braço para consignar o gol “IRREGULAR”, que deu a vitória ao Corinthians. E, por conseguinte, no pênalti que não ACONTECEU, assinalado em desfavor do Paraná Clube, na sexta (29), no prélio contra o Figueirense/SC.
Ad argumentandum tantum – O substantivo feminino “Desgraça” significa tristeza, aborrecimento, angústia, infelicidade que é o que parte da confraria dos apitos e bandeiras da Seleção Nacional de Árbitros de Futeool da CBF com seus erros reiterados, vem proporcionando aos clubes, atletas, torcedores e a imprensa.


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

CONMEBOL ANUNCIA VAR NAS DUAS FINAIS SUL-AMERICANA 2017

O Presidente da CONMEBOL, Alejandro Domínguez WS, anunciou que o Conselho da Sede do Futebol Sul-Americano, reunido na quarta-feira passada em Bogotá, decidiu usar o Sistema de Assistência à Arbitragem de Vídeo (VAR) nas duas finais  da CONMEBOL SUL-AMERICANA 2017.

"Acreditamos que é um compromisso adicional da CONMEBOL em favor da justiça no campo de jogo e para promover o Fair Play. É mais uma ferramenta para que os árbitros possam fazer muito melhor seu trabalho", declarou o Presidente Domínguez durante o anúncio, explicando que" é uma decisão do Conselho da CONMEBOL".

As semifinais e finais da CONMEBOL LIBERTADORES BRIDGESTONE 2017, onde antecipadamente foi confirmado o uso do VAR, são agora acompanhadas pelas duas finais da CONMEBOL SUL-AMERICANA 2017. "Porque em cada campeonato onde o Sistema VAR foi implementado, serviu para corrigir decisões a favor da justiça esportiva", afirmou o Presidente da CONMEBOL sobre os benefícios da tecnologia em favor do futebol sul-americano.

Na sexta-feira passada, o primeiro treinamento de árbitros sul-americanos sobre o uso do sistema VAR foi concluído em Luque, Paraguai, onde um total de 20 árbitros e 8 assistentes receberam diretrizes por uma semana sobre o uso desta nova tecnologia.

O VAR é uma aposta do programa Evolução da CONMEBOL. "Somos a primeira Confederação no mundo que aplica a tecnologia de assistência ao árbitro através do vídeo para seus campeonatos. De agora em diante, a mensagem é diferente na CONMEBOL: acreditar sempre e trabalhar muito", enfatizou Domínguez.

Para o mês de outubro deste ano, um novo curso de treinamento é planejado novamente na sede da CONMEBOL, com os mesmos árbitros, como anunciou o Presidente da Comissão de Arbitragem da CONMEBOL, Wilson Seneme.

Atualmente, a CONMEBOL SUL-AMERICANA está na fase das Quartas de Final, onde as equipes Sport Recife (BRA) x Junior (COL); Libertad (PAR) x Racing (ARG); Nacional (PAR) x Independiente (ARG); Fluminense (BRA) x Flamengo (BRA), estão procurando chegar ao final da competição, prevista para os dias 6 e 13 de dezembro de 2017.

Nossa Opinião: Uma entidade da grandeza da CONMEBOL não poderia continuar alheia ao experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV). Ferramenta imprescindível no auxílio à arbitragem, que irá propiciar transparência aos jogos de futebol. Ponto positivo à CONMEBOL. 
Fonte: CONMEBOL

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

VOLTA POR CIMA


Após ser anunciado como o árbitro do prélio final da Copa do Brasil, entre Cruzeiro/MG x Flamengo/RJ, o árbitro Luiz Flavio de Oliveira (FIFA/SP), gerou certa apreensão a respeito da sua condição física, psicológica, tática, técnica e coordenação motora.
A apreensão tinha razão de existir por dois motivos: 1) Luiz Flavio sofreu há poucos meses atrás, uma gravíssima contusão que o alijou da carreira de árbitro nos últimos cinco meses. 2) A partida que iria comandar envolvia dois gigantes do futebol brasileiro, e, por extensão, decidia a Copa do Brasil - competição que dá acesso direto a participar da Taça Libertadores da América em 2018.
Pois bem, assim que a bola rolou, o que se viu foi um árbitro equilibrado, inteligente, frio durante todo o transcurso do prélio, imparcial, deixou o jogo correr e somente interviu quando o seu intelecto em conjunto com sua discricionariedade, determinou que deveria intervir efetivamente na partida. EXCELENTE ARBITRAGEM!
PS: O Árbitro de Vídeo (AV), ferramenta considerada revolucionária pelo (The IFAB), foi abarcado definitivamente pela CBF que está treinando seus apitos e bandeiras na cidade de Águas de Lindóia (SP).
PS: A 26ª rodada do Campeonato Brasileiro no que concerne a Série (A), será decisiva à arbitragem afastar a “nuvem negra” de erros de interpretação e aplicação das REGRAS DE FUTEBOL, na competição em tela. Pois do contrário, a "MANCHA DAS PÉSSIMAS ARBITRAGENS", vai esculhambar o principal torneio do  nosso futebol.  

Clique nos links a seguir e confira o treinamento da arbitragem brasileira sobre o ÁRBITRO DE VÍDEO - que está sendo ministrado pelos instrutores, Sérgio Corrêa da Silva e Manoel Serapíão -  
https://www.cbf.com.br/cbf-tv/arbitragem/arbitro-de-video-teste-e-feito-em-jogo-treino?page=0#.Wc5DWdhv_IU    -
https://www.cbf.com.br/cbf-tv/arbitragem/arbitro-de-video-cbf-realiza-treino-pratico?page=0#.Wc5Hv9hv_IU







terça-feira, 26 de setembro de 2017

ARBITRAGENS CONFUSAS "MANCHAM" O BRASILEIRÃO

                                                                    Crédito: lance.com.br

Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (CBF-GO), foi o (AAA) árbitro assistente adicional, no prélio Corinthians/SP 1 x 0 Vasco da Gama/RJ, pela 24ª rodada do Brasileirão da Série (A), que estava há menos de cinco metros ao lado do poste, onde o atacante do Corinthians, utilizou o braço para consignar o gol (IRREGULAR), que deu a vitória ao time do Parque São Jorge.
Diante da incapacidade do aparelho ocular de Eduardo Valadão captar o nominado lance, dado a distância do fato, o mínimo que a CA/CBF deveria fazer, seria submetê-lo a um exame oftalmológico, visando testar a sua acuidade visual.
Se o problema não fosse no campo visual, o caminho seria acionar a Escola Nacional de Arbitragem de Futebol - e submeter Eduardo Valadão a uma requalificação no que concerne as Regras de Futebol – sobretudo, na função de (AAA). Busquei informações se houve alguma ação da CA/CBF em relação ao árbitro, e a resposta foi de que nada aconteceu.
Não bastasse a lambança do gol (IRREGULAR) que teve a participação de Eduardo Valadão, no mencionado prélio e suas consequências prejudiciais à arbitragem do futebol brasileiro, a CBF nesta terça (26) – o inseriu no sorteio da 26ª rodada da Série (A), que acontecerá neste final de semana.
Eduardo Valadão, vai dirigir Botafogo/RJ x Vitória/BA no próximo domingo. Ao escalá-lo a CBF expõe de maneira irretocável na nossa opinião, o seu desrespeito para com os clubes, a imprensa, o torcedor, seus patrocinadores e a membresia que compõe a Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF/CBF).
E, por derradeiro, afronta a sua mais importante competição, o Campeonato Brasileiro, que um dia já foi considerado o melhor campeonato de futebol do planeta.

ARBITRAGEM: CREDIBILIDADE EM BAIXA


A escalada interminável de erros da arbitragem na interpretação e aplicação das REGRAS DE FUTEBOL, que temos observado no Campeonato Brasileiro deste 2017, fala por si só. Todo e qualquer argumento venha de onde vier, em defesa dos homens do apito e das bandeiras não encontra sustentação. A não ser a “galhofa” utilizada pelo CBF de que, o número de acertos da arbitragem é superior ao dos erros perpetrados.

O que a CBF não exibe, não explica, não justifica e não apresenta possíveis sugestões e/ou soluções, é que os erros reiterados da confraria do apito, estão decidindo rodada após rodada, os jogos da Série (A) - e, por extensão, a tabela de classificação do seu principal torneio, o Brasileirão.

Diante da situação em tela, tornou-se “rotina” a cada decisão da arbitragem nos prelios da Série (A) - a formação de um círculo de atletas durante, no intervalo e após os jogos ao redor do árbitro, dos assistentes e dos árbitros assistentes adicionais. Todos com o dedo e/ou as mãos em riste, protestando contrários as decisões da arbitragem. As imagens exibidas pela TV são a prova inconteste.

Independente dos erros da arbitragem pergunto: O que preceitua a REGRA – 12 – FALTAS E INCORREÇÕES - quando um jogador discordar das decisões da arbitragem com palavras e/ou ações? Resposta: Adverti-lo com cartão amarelo. Por que os árbitros estão “pipocando” e permitindo aquela “igrejinha” a sua volta? O que explica tamanha omissão? Qual é o destino dado pela CA/CBF, dos relatórios dos analistas de campo e de vídeo, designados pela entidade sobre o desempenho da arbitragem?

PS: Não lembro ter vivenciado a ausência substancial de credibilidade dos homens, que manejam o apito e as bandeiras no futebol brasileiro como se vê na atualidade. E, a continuar no atual diapasão, o descrédito irá se acentuar.

ad argumentandum tantum - sobre o "penal" "assinalado" pelo árbitro Sandro Meira Ricci (FIFA/SC),  no  Sport/PE x Vasco da Gama/RJ-  o lance em tela,  retrata com perfeição, a MIXÓRDIA em que foi transformada a arbitragem brasileira nesta temporada. Ponto.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

(AV) NÃO RESOLVERÁ TODOS OS PROBLEMAS

                                                                Crédito: ParanaOnline

Autorizado pelo (The IFAB) em março de 2016, como ferramenta revolucionária no auxílio a arbitragem para dirimir lances como se foi penal ou não, foi ou não gol, e corrigir se o cartão vermelho direto foi aplicado pelo árbitro corretamente e com identidade errada dos atletas, o experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), começou ser testado nesta segunda (25), no curso de capacitação à (64) árbitros membros da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF/CBF).
Importante destacar que a arbitragem brasileira é a última dos grandes centros do futebol mundial, a aderir a aludida tecnologia. Tecnologia que se ministrada por pessoas qualificadas sobre o tema - e trabalhada com persuasão no intelecto de todos os segmentos envolvidos, poderá tornar as decisões da arbitragem próximas da uniformidade.
O que a CBF precisa decidir e repassar aos árbitros é se além das quatro situações elencadas acima, o (The IFAB) mexeu no protocolo e permitiu que outros lances como o IMPEDIMENTO,  SE A BOLA SAIU OU NÃO PELA LATERAL E/OU LINHA DE FUNDO  e as SIMULAÇÕES DOS ATLETAS, serão contempladas pelo (AV).
Na Mundial de Clubes da FIFA do Japão em 2016, no Mundial Sub-20 da Coréia do Sul este ano, na Copa das Confederações realizada no mês de julho que passou, na Rússia e no amistoso realizado no mês de março de 2017, entre Espanha 2 x 0 França, o (AV) quebrou o Protocolo do (The IFAB). Nas três situações citadas no terceiro parágrafo, o (AV) interferiu e mudou as decisões do árbitro e dos assistentes.
Esta é uma situação que deve ficar bem clarificada no treinamento, sobretudo, porque a CONMEBOL tem dois membros no Comitê de Arbitragem da FIFA. Wilson Luiz Seneme e Amelio Andino, que devem estar 100% por dentro dos acontecimentos.
Reitero o que disse acima: Se o treinamento do Árbitro de Vídeo, for ministrado por pessoas qualificadas sobre o tema e as Arenas e/ou estádios escolhidas para os testes, comportarem toda a aparelhagem eletrônica exigida, nossos árbitros e quem exercer a função de (AV), darão um salto gigantesco na qualidade das tomadas de decisões no campo de jogo. Mas que fique claro que o (AV) não irá resolver todos os problemas e/ou erros de interpretação e aplicação das REGRAS DE FUTEBOL.
PS: No domingo (24), via chamada de voz WHATSAPP, o coordenador do projeto do (AV) da CBF, Sérgio Corrêa da Silva, afirmou a este colunista que em nenhum momento a CBF prometeu que implementaria imediatamente essa tecnologia.
PS (2): Corrêa me disse que o presidente da CA/CBF, Marcos Marinho, após reunião com o dirigente máximo da entidade, Marco Polo Del Nero, afirmou que: “A CBF implantaria o (AV) o mais rápido possível”. Ponto.
PS (3): A CA/CBF anunciou no início desta segunda-feira (25), que, a decisão da Copa do Brasil desta temporada, entre Cruzeiro/MG x Flamengo/RJ, na próxima quarta-feira (27), no Mineirão, será dirigida por Luiz Flavio de Oliveira  (foto-FIFA/SP).
PS (4): Após recente contusão contraída em uma partida da Série (B) do Campeonato Paulista, espera-se que o indigitado apito esteja mentalmente, tecnicamente e fisicamente recuperado na sua plenitude. O prélio que Luiz Flavio irá dirigir, vai exigir do primeiro ao último segundo, coragem para tomar decisões fortes, mas principalmente, ingente equilíbrio.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

CBF: PROJETO OU ARREMEDO?

                                                                             Crédito: CBF

A CBF quando questionada pelos meios de comunicação a respeito da não implementação do experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), no Campeonato Brasileiro de 2017, afirmou várias vezes: 1) Estamos trabalhando em cima do projeto e contatando várias empresas para atuarem como parceiras no empreendimento – e, a partir do momento que tivermos tudo em ordem, iremos colocar a aludida tecnologia em ação. 2) A CBF discorda em parte da forma como está formatado o Protocolo do (The IFAB), no que tange ao (AV) – a afirmação está na palavra do presidente da entidade Marco Polo Del Nero, no manual REGRAS DE FUTEBOL 2017/2018. 3) O custo econômico da experiência do (AV) é elevadíssimo – diante disso, a CBF vai aguardar um pouco mais, quem sabe o Mundial da Rússia em 2018 para aderir ou não à essa ferramenta no auxílio a arbitragem.

Após o propalado episódio do prelio Corinthians/SP x Vasco da Gama/RJ, no último domingo (17), onde o atacante Jô da equipe mosqueteira, fez o gol da vitória com s utilização do braço, Del Nero mudou repentinamente de ideia e veio a público afirmar que: “A CBF vai implantar imediatamente o (AV), nas partidas da Série (A) do Brasileirão”. Menos de 24h depois, voltou atrás e anunciou o que já se sabia mas precisava de confirmação.

O projeto do (AV) alardeado pela CBF só existe na mente dos seus dirigentes. Vamos aos fatos: A TV detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro (Rede Globo) - após a fala de Del Nero, emitiu uma nota com o seguinte conteúdo: “A Rede Globo e a Globosat, não tinham condições de colocar o experimento do (AV) incontinenti porque, nas transmissões do Brasileiro não utiliza determinados equipamentos exigidos pela tecnologia do (AV)”.

A Rede Globo e a Globosat, não sabiam quais eram os estádios e/ou arenas, que dispunham da estrutura necessária para alocar a tecnologia do (AV), e seu funcionamento adequado.

E, por derradeiro, a televisão precisava de tempo para treinar seus profissionais para tão importante missão. O que explicita a responsabilidade da TV para com o futebol brasileiro, seus anunciantes e o torcedor.

Aqui neste espaço tenho enfatizado sistematicamente que o quadro de arbitragem da CBF, com exceção de (seis membros) - apitos e bandeiras, os demais, nunca receberam o treinamento do (AV). Atualmente a (SENAF/CBF), tem próximo de quinhentos membros.

Tanto é verdade que a “toque de caixa,” a CBF convocou (64) integrantes da (SENAF/CBF) para participarem do curso de treinamento do (AV), a partir da próxima segunda (25), na cidade de Águas de Lindoia (SP).

Ad argumentantum tantum – Que projeto é esse da CBF a respeito do (AV), que não se comunicou com a televisão, não vistoriou arenas e/ou estádios e sequer treinou os apitos e bandeiras e demais profissionais, que irão manejar a indigitada tecnologia ?

  1. PS: O experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO, foi autorizado pelo (The IFAB), em 5 de março de 2016. O que significa que a CBF teve tempo e mecanismos suficientes para implementá-lo. O Árbitro de Vídeo está sendo testado em 2017 - na Bundesliga (Alemanha), no Campeonato Francês, na KNVB – (Holanda), no Campeonato Italiano, na MLS (EUA) e no Campeonato Português. 
     
  2. PS: Além do exposto, o (AV) foi testado no Mundial de Clubes da FIFA do Japão em 2016, no Mundial Sub-20 da FIFA na Coreia do Sul este ano, no amistoso entre Espanha x França em 2017, na Copa das Confederações no último mês de julho e será testado no Mundial Sub-17 da FIFA na Índia, no mês de outubro do ano em curso.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

CBF reúne supervisores de AV para treinamento

               Crédito: DFB

Dando prosseguimento às normas para a implantação do Árbitro Assistente de Vídeo (VAR) na arbitragem nacional, a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol reuniu grupo de 16 supervisores de AV para atualização de protocolo e revisão de instruções antes da preparação intensiva de árbitros e árbitros assistentes.  Presente em uma série de treinamentos realizados pela Conmebol nas últimas semanas, o instrutor técnico de VAR, Manoel Serapião Filho, comandou o trabalho teórico que consistiu em atualizar os supervisores sobre o conteúdo, alcance e limites do protocolo elaborado pela IFAB (International Football Association Board). 
O trabalho foi acompanhado pelo presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Marcos Marinho. Ele ressaltou aos supervisores que o avanço na utilização da tecnologia é muito importante para a consolidação de um quadro moderno de arbitragem no país:  
– O árbitro moderno precisa entender que a função dele está mudando e que o Árbitro de Vídeo vem para garantir uma arbitragem ainda melhor e mais eficiente. O árbitro terá que saber usar o AV com inteligência para não atrapalhar a dinâmica do futebol, que é a essência do uso da tecnologia. 
O grupo de supervisores trabalhou intensamente as chamadas “decisões revisáveis”, aquelas situações em que há a possibilidade de pedido de revisão pelo árbitro ou de sugestão pelo Árbitro Assistente de Vídeo (AAV). Nos próximos dias, 64 árbitros e árbitros-assistentes passarão por avaliações, treinamentos teóricos e práticos nos moldes do realizado pela Conmebol. 
– Desde março do ano passado, todos os cursos e treinamentos promovidos pela Comissão de Arbitragem da CBF têm o tema “Árbitro de Vídeo” como parte das atividades. Além disso, nós participamos de todos os workshops realizados pela FIFA sobre o AV em Londres, Amsterdã, New Jersey e Zurique. Agora, vamos dar mais um passo para a implantação do AV – explica Manoel Serapião. 
Fonte: CBF
Nossa Opinião: A CBF se vier a implementar o experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), será a última entidade dos grandes centros esportivos do futebol mundial, a aderir a aludida ferramenta. E, por extensão, o seu quadro de arbitragem, também será o derradeiro a receber o curso sobre o (AV). O que gostem ou não, coloca a membresia da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF), a frente apenas dos homens de preto do Continente Africano.
Ad argumentantum tantum – Os árbitros e assistentes da (SENAF), que participaram do treinamento do (AV), que é um contingente minoritário (quatro árbitros e dois assistentes) -  só conseguiram porque atuaram em competições da FIFA e mais recentemente no seminário da CONMEBOL. Quanto aos supervisores do (AV), a informação é de que com exceção de Sérgio Corrêa da Silva e Manoel Serapião, os demais a exemplo da maioria dos apitos e bandeiras da CBF, estão “TATEANDO” sobre o tema.    
 

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A CBF IRÁ REALIZAR O MELHOR TESTE DO ÁRBITRO DE VÍDEO?

     Crédito - (The IFAB - FPF)

Criticada por não ter aderido a ferramenta do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), disponibilizada para testes pelo (The IFAB) desde de março de 2016, a CBF, se a sua direção desejar, poderá realizar os melhores testes da aludida tecnologia até o momento.

Mas para realizar o melhor teste do (AV), a CBF deve tomar as seguintes medidas: 1) Contratar uma empresa de excelência para gerar as imagens. 2) Estudar em conjunto com essa empresa, os prós e os contras de todos os testes do (AV), que foram realizados pela FIFA no Mundial de Clubes do Japão de 2016 - e na recente Copa das Confederações da Rússia – na Bundesliga (Alemanha), na MLS (EUA), na Itália, em Portugal e na KNVB (Holanda). 3) Ao analisar minuciosamente os resultados dos testes que estão disponíveis, concomitantemente com a empresa contratada, as chances de não repetir os equívocos são consideráveis.

4) Vistoriar e definir, quais são as arenas e/ou estádios que possuem as condições exigidas pelo protocolo do (The IFAB) - para a realização do experimento. 5) Escolher pessoas com capacitação de alto nível para ministrar o curso ao grupo de árbitros e assistentes, que irão manejar a ferramenta do (AV). 6) Não permitir que pessoas sem o devido conhecimento participem e/ou deem palpite sobre o tema. 7) A CBF que gere o país do futebol, e não deve contingenciar recursos financeiros no sentido de que, a indigitada ferramenta atinja o maior percentual de acertos quando testada. Os últimos balancetes da CBF apontam lucros estratosféricos ano após ano.

Ad argumentantum tantum (1) – No que concerne as atribuições dos (AAA) Árbitros Assistentes Adicionais do Campeonato Brasileiro - as funções à eles atribuídas estão preceituadas no Manual do (The IFAB) – [Os Outros Oficiais de Arbitragem]. O (X) da questão é que os (AAA), que estão desenvolvendo essa função, receberam treinamento apenas na primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Ad argumentantum tantum (2) – De lá para cá, nada mais aconteceu. Ou seja, a coisa “tá largada”. Independente de treinamento, o principal culpado é o ÁRBITRO CENTRAL. O regulamento determina que, o sexteto de arbitragem deve chegar com antecedência de duas horas antes do início da partida no estádio. Onde está o trabalho em equipe que deve ser planejado no vestiário da arbitragem? 

A ÚLTIMA: A CBF anunciou no final desta quarta-feira (20), que, só irá implementar o teste do (AV) quando estiverem reunidas as condições para utilizar o experimento nos dez jogos da Série (A). Tempo e meios para viabilizar a experiência a CBF teve. A cada entrevista sobre o tema a entidade utilizou diferentes desculpas. O futebol brasileiro, detentor de cinco Copas do Mundo não merece tamanho escárnio e o semiamadorismo que estamos vivenciando. QUE VERGONHA!!!   

terça-feira, 19 de setembro de 2017

O (AV) NÃO É UMA ATIVIDADE PERFUNCTÓRIA NO FUTEBOL BRASILEIRO


A declaração do presidente da Associação Nacional de Árbitros de Futebol (ANAF), Marco Antonio Martins, de que o ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), deveria ser implementado desde o início do Campeonato Brasileiro deste ano – e, que a instalação dessa tecnologia, vai esbarrar na falta de estrutura das arenas e estádios do país - o que impossibilitará produzir os efeitos almejados, é digna de reconhecimento - porque retrata uma verdade irretocável.

Além das deficiências estruturais das arenas e/ou estádios, apitos e bandeiras da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF/CBF), com raras exceções, sequer receberam o treinamento adequado de como manusear a ferramenta do (AV).

Tempo e oportunidade houve – mas a CBF refutou - alegando custo econômico demasiado e discordância do Protocolo estabelecido pelo (The IFAB), em 5 de março de 2016.

Na nossa opinião, a CBF só tomou a decisão de anunciar o experimento do (AV), porque: 1) Está premida pelas reiteradas insurreições dos cartolas que comandam os clubes, em função dos constantes erros da arbitragem – o que vem ocasionando prejuízos técnicos e financeiros às equipes, a exemplo do domingo que passou, no Corinthians/SP x Vasco da Gama/RJ. 2) A CBF sabe quem são e como agem os dirigentes do futebol brasileiro - são interesseiros, personalistas e sentimentalistas ao invés de profissionais, salvo uma ou outra exceção. 3) E o anúncio da implementação do (AV), mesmo em caráter experimental, é um paliativo que vai acalmar os ânimos nessa reta final do Brasileiro.

PS: Dado a exiguidade do tempo, diante dos acontecimentos e como o (AV) não faz parte do cotidiano do nosso futebol, é aguardado com expectativa qual será a empresa geradora das imagens. Tem que ser uma empresa especializada no tema. Que o setor da CBF responsável pelo (AV), cumpra o Protocolo definido pelo (The IFAB) - e não coloque obstáculos. Que os estádios e/ou arenas tenham as condições exigidas pelo Protocolo para implementar o teste do (AV). Que os instrutores responsáveis pelo curso de treinamento à arbitragem da (SENAF), sejam detentores de notório conhecimento a respeito da tecnologia em tela. E que a CBF convide a ANAF a participar do treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO.
Foto: FIFA 

Ranking da arbitragem da CA/CBF: 22ª e 23ª rodadas


A Comissão de Arbitragem da CBF divulgou as melhores equipes das 22ª e 23ª rodadas do Brasileirão. Os vencedores da temporada serão determinados pela soma da pontuação contabilizada durante todo o campeonato. O ranking está sendo elaborado a partir dos dados do sistema de análise de desempenho usado pela entidade. Confira:
ARBITRAGEM - BRASILEIRÃO - 22ª RODADA
Ponte Preta 1 x 2 Atlético-MG - 27 de agosto, domingo (16h), Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (foto-PR)
Árbitro Assistente 1: Bruno Boschilia (PR)
Árbitro Assistente 2: Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Quarto Árbitro: Rafael Trombeta (PR)
Árbitro Assistente Adicional 1: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Árbitro Assistente Adicional 2: Fabio Filipus (PR)
Palmeiras 4 x 2 São Paulo - 27 de agosto, domingo (16h), Allianz Parque, São Paulo (SP)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Árbitro Assistente 1: Emerson Augusto de Carvalho (SP)
Árbitro Assistente 2: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Quarto Árbitro: Alex dos Santos (SC)
Árbitro Assistente Adicional 1: Rodrigo D. Alonso Ferreira (SC)
Árbitro Assistente Adicional 2: Eduardo Cordeiro Guimarães (SC)

Fluminense 0 x 1 Vasco - 26 de agosto, sábado (16h), Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (foto-MG)
Árbitro
Assistente 1: Guilherme Dias Camilo (MG)
Árbitro Assistente 2: Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Quarto Árbitro: Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)
Árbitro Assistente Adicional 1: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Árbitro Assistente Adicional 2: Renato Cardoso da Conceição (MG)

ARBITRAGEM - BRASILEIRÃO - 23ª RODADA
Santos 2 x 0 Corinthians - 10 de setembro, domingo (16h), Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Árbitro Assistente 1: Alex Ang Ribeiro (SP)
Árbitro Assistente 2: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Quarto Árbitro: Alberto Poletto Masseira (SP)
Árbitro Assistente Adicional 1: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Árbitro Assistente Adicional 2: Marcio Henrique de Gois (SP)

Vitória 2 x 2 Fluminense - 10 de setembro, domingo (16h), Manoel Barradas, Salvador (BA)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Árbitro Assistente 1: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)
Árbitro Assistente 2: Fabio Rodrigo Rubinho (MT)
Quarto Árbitro: Renan Antônio Angelim Rodrigues (MT)
Árbitro Assistente Adicional 1: Marcos Mateus Pereira (MS)
Árbitro Assistente Adicional 2: Rafael Odilio Ramos dos Santos (MT)

Vasco 1 x 0 Grêmio - 9 de setembro, sábado (18h), São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (foto-SC)
Árbitro Assistente 1: Helton Nunes (SC)
Árbitro Assistente 2: Thiaggo Americano Labes (SC)
Quarto Árbitro: Johnny Barros de Oliveira (SC)
Árbitro Assistente Adicional 1: Celio Amorim (SC)
Árbitro Assistente Adicional 2: Edson da Silva (SC)
Fonte: CBF

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

ARBITRAGENS EQUILIBRADAS

                                                             Crédito: ParanaOnline

Dois árbitros e, por consequência, suas atuações me despertaram a atenção na 24ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série (A), disputa no final de semana que passou. André Luiz de Freitas Castro (foto-CBF-GO), no jogo Avaí/SC 1 x 1 Atlético/MG, disputada às 11h, em Florianópolis, e Rodolpho Toski Marques (FIFA/PR), no prelio Vitória/BA 1 x 2 São Paulo/SP, jogada no período da tarde de domingo, na terra de todos os santos.   

Dois confrontos que envolviam duas esquadras de grandeza,  dentro do contexto do futebol pentacampeão mundial - mas, não vivem um bom momento no Brasileirão. O Galo das Alterosas - e o Tricolor do Morumbi.

Na partida matinal disputada na capital catarinense, André Castro e seus congêneres do apito, independente do pleno conhecimento das REGRAS DE FUTEBOL, exibiram três qualidades importantíssima à arbitragem em qualquer situação -   sobretudo, quando em jogos de alta dificuldade: EQUILÍBRIO, ENERGIA e IMPARCIALIDADE. Arbitragem perfeita!

A tarde na bela Salvador (BA), Rodolpho Toski Marques (foto) e seus auxiliares, além de repetirem as qualidades elencadas em seus homólogos de Floripa, nas tomadas de decisões técnicas e disciplinares, exibiram um outro componente que deve nortear a arbitragem no manuseio de um prélio.
Estudar antes do jogo o comportamento dos técnicos e atletas de ambas as equipes, incluso as ações na área técnica e banco de reservas e posicionamento na tabela de classificação.
Ou seja, planejar um modus operandi de arbitragem com conhecimento macro dos prós e dos contra de cada time. E, a partir de então, quando a bola rolar, vivenciar em 100% a partida.
Foi o que fez Toski Marques. Inteligente, muito bem fisicamente, o que lhe permite deslocar-se com facilidade pela relva, segurou num primeiro momento o jogo na sua mão e, quando teve certeza disso, foi soltando o jogo de maneira paulatina.
                             Crédito/APAF/PR
Terminado a peleja, ninguém foi contestar suas decisões - pelo contrário, foi cumprimentado. Nem tricolores e nem rubro-negros tocaram no tema arbitragem. André Castro e Rodolpho Marques não inventaram e/ou criaram nada de excepcional.
Cumpriram as regras, as orientações e determinações da CA/CBF, as diretrizes do (The IFAB), leram as normas que estão disponibilizadas a parte ao árbitro em inglês, pela FIFA, onde está preceituado que o árbitro deve tomar as medidas acima elencadas -  e tiveram a sorte de não ter nenhum lance de “sibilina” interpretação, nos jogos que dirigiram.
PS: Criticar a eficácia do árbitro assistente adicional, que, fica posicionado no mesmo lado do árbitro assistente  (bandeira) - nas partidas da Série (A) do Campeonato Brasileiro é fácil. O X da questão é a CBF explicar porque, não há treinamento para capacitá-lo em conformidade com as suas atribuições e/ou funções.  
  Ao implementar o experimento do (AV) - a CBF insere a arbitragem brasileira na modernidade - Crédito: FIFA

PS (2): Ponto positivo para a presidência da CBF, que após o episódio do gol consignado com o braço do atacante Jô do Corinthians, contra o Vasco da Gama, decidiu implementar o experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. O que significa o retorno imediato do coordenador do (AV)da CBF, Sérgio Corrêa da Silva e Manoel Serapião Filho, que estão participando do seminário sobre o (AV) da CONMEBOL, em Luque (Paraguai).
    

domingo, 17 de setembro de 2017

CURSO INCOMPLETO

              Crédito: SAFERGS


O site da FIFA no que concerne a arbitragem, acusa que a América do Sul tem (68) árbitros e (69) árbitros assistentes. O que significa que todos os (137) apitos e bandeiras, são membros da esquadra de arbitragem da Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).
Portanto a convocação de (20) árbitros e (8) árbitros assistentes, para o curso de treinamento sobre o ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), que está sendo realizado na sede da entidade na cidade Luque, nas circunvizinhanças de Assunção, capital do Paraguai, está incompleto.
É compreensível a não convocação de um contingente maior da arbitragem Sul-americana para o aludido curso - em função das acomodações, espaço físico e, também porque, a maioria dos campeonatos dos filiados à CONMEBOL, está em pleno andamento.
Diante do exposto, fica evidente que a (CSF) para atingir 100% do seu quadro de árbitros, no que diz respeito a tecnologia do (AV), terá que realizar novos cursos.
Pois do contrário, parte significativa da confraria do apito daquele organismo, vai ficar sem o devido conhecimento, dessa importante ferramenta disponibilizada pelo (The IFAB) para auxiliar a arbitragem, a tomar decisões mais justas no campo de jogo.
Ad argumentandum tantum (1) – Dos considerados grandes centros do futebol mundial, a CONMEBOL é a última entidade a realizar o curso de treinamento do (AV) à sua equipe de arbitragem. Ressalto ainda que do total de (68) árbitros, apenas (30%) foram convocados. Já o percentual dos assistentes, é pouco acima de (10%), do total de (69).
Ad argumentandum tantum (2) – A Frase de autoria dos instrutores de arbitragem da CBF, Luiz Cunha Martins, Manoel Serapião Filho e Sérgio Corrêa da Silva preceitua que: “A arbitragem exige concentração, controle emocional, pleno domínio das REGRAS DO JOGO, condicionamento físico, bom posicionamento em campo, firmeza nas decisões e, acima de tudo, imparcialidade e entusiasmo”. A exuberante arbitragem de Jean Pierre Gonçalves de Lima (foto-RS), no prélio Paraná/PR 2 x 1 Londrina/PR, pela Série (B), no sábado (16/9), em Curitiba (PR), encaixou-se com perfeição na frase acima nominada. Ou melhor dizendo, Jean Pierre foi 10!.

Ad argumentandum tantum (3) - Na contramão do DESENVOLVIMENTO e na  vanguarda do SUBDESENVOLVIMENTO - a CBF decidiu não implementar o teste do ÁRBITRO DE VÍDEO, no Campeonato Brasileiro desta temporada. Resultado: A arbitragem com erros crassos em alguns jogos, está decidindo as partidas do seu principal torneio. POBRE ARBITRAGEM BRASILEIRA!

PERGUNTAR NÃO OFENDE: Quais são os critérios utilizados pela CA/CBF, no momento de inserir apitos e bandeiras nos sorteios da Série (A) do Brasileirão?

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

(AV) NA BUNDESLIGA: DECISÃO DE DEZ A QUARENTA SEGUNDOS

                                                                           Crédito: DFB

Após a reunião histórica do (The IFAB), que autorizou o teste do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), em “Off line”, em março de 2016, enquanto o mundo subdesenvolvido do futebol, “batia no peito”, avocando a paternidade do aludido experimento, a Deutscher Fussaball-Bun – a Bundesliga da Alemanha - organizou um cronograma que tinha a escolha da cidade, e local adequado para treinar o seu quadro de arbitragem em relação a tecnologia em tela.

Escolhida a cidade de Colônia (Alemanha) - foi construído um centro de treinamento do ÁRBITRO DE VÍDEO - e, logo a seguir, a empresa de excelência que iria realizar o treinamento aos apitos sobre o (AV) e, por extensão, a geradora das imagens. Tudo isso no mais absoluto silêncio e profunda discrição.

Após oito meses de treinamento, com inúmeros testes no modo “Off lline”, apitos e bandeiras da Bundesliga, receberam o certificado de capacitação sobre o (AV) - e estão aptos a dirimir [qualquer dúvida que aconteça nas partidas da temporada 2017/2018, no espaço de tempo mínimo de dez segundos e máximo de quarenta segundos.]

A definição do que você acaba de ler tem cinco nomes: profissionalismo, planejamento, organização, transparência – e, compromisso com o torcedor, a imprensa, a arbitragem, os cartolas, os atletas, os técnicos, os patrocinadores. O resultado é visto semanalmente nos estádios lotados em todos os jogos – e, a Bundesliga no “calcanhar” da Premier League, (Inglaterra), visando ultrapassá-la.

O Periódico {EL TIEMPO} da Colômbia, noticiou na quinta (14/9) - a nova relação dos apitos da FIFA, da Federação Colombiana de Futebol para a temporada 2018. Clique em cima do link a seguir e veja os novos integrantes da lista internacional da FIFA - http://www.eltiempo.com/deportes/futbol-colombiano/arbitros-fifa-de-colombia-para-2018-130750

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

CONMEBOL ANUNCIA TREINAMENTO À ARBITRAGEM SOBRE O (AV)


A CONMEBOL informa que a partir de hoje até 22 de setembro, serão levadas a cabo, na sede da Confederação Sul-Americana de Futebol, as capacitações no uso da tecnologia do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV) aos árbitros que foram designados para as semifinais e finais da CONMEBOL Libertadores Bridgestone – o processo em tela é considerado de fundamental importância à inovação que se adianta para garantir a justiça esportiva e o jogo limpo.

Dar aos nossos árbitros os conhecimentos suficientes para utilizar adequadamente esta tecnologia, tornará mais fácil a tomada de decisões corretas, bem como a redução de erros que possam influir nas etapas mais importantes e decisivas da CONMEBOL/Libertadores” - explicou Alejandro Domínguez, Presidente da CONMEBOL.

As capacitações têm o objetivo de recriar e simular situações que preparem os trios arbitrais no manejo, implementação e interpretação dos momentos em que o (AV) pode ser utilizado - partindo da ideia de minimizar a interrupção do ritmo e do tempo de jogo para assegurar que a tecnologia seja uma ferramenta de apoio que aporta para o desenvolvimento, e qualidade do futebol sul-americano.
Foto: FPF/Portugal

PS: Como exposto no site do (The IFAB) – http://theifab.com/projects/video-assistant-referees-vars-experiment?tab=3 - a CONMEBOL e seus filiados dos denominados grandes centros do futebol mundial, é a última instituição a aderir ao experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO. Esse fato mantém a arbitragem sul-americana, em descompasso em relação aos seus homólogos em todo o planeta. 

PS (2): A empresa vencedora do processo licitatório para  a implantação dos tetes do (AV) na Confederação Sul- Americana de Futebol, é top de linha. O que não pode se repetir nos experimentos do ÁRBITRO DE VÍDEO da CONMEBOL, são os fatos lamentáveis que ocorreram nos dois testes realizados neste 2017, entre a CBF e a Federação Pernambucana de Futebol. "FOI UM FIASCO INOMINÁVEL"!



terça-feira, 12 de setembro de 2017

ARBITRAGEM: TEORIA ESTÁ SUPLANTANDO A PRÁTICA


Observando as tomadas de decisões da arbitragem no Campeonato Brasileiro desta temporada, me veio a mente que há excesso de teoria no intelecto da confraria do apito, que, labora nas competições da CBF, sobretudo, na Série (A). Teoria que está suplantando a prática e conduzindo as arbitragens para o “beleléu”.

Tive a convicção ao ver um dos melhores apitos do nosso futebol, Anderson Daronco (FIFA/RS), desenvolver uma sistema de arbitragem em completo descompasso da praticidade (inseguro) - em alguns momentos do clássico Atlético/PR x Coritiba/PR, no domingo (10/9).
 
O excesso de teoria pelo andar da carruagem, está provocando uma ingente amnésia na cabeça da confraria dos homens de preto do futebol brasileiro. Amnésia que fez com que apitos e bandeiras se olvidassem de que, o sucesso de uma boa arbitragem está vinculado a 70% de prática - (treinamento no campo de jogo, através de situações reais que acontecem numa partida – acoplado ao trabalho em equipe que é prática e não teoria). 
 
Embora seja um esporte totalmente diferenciado do futebol - a Fórmula (1) dá um exemplo entre a teoria e a prática. Em recente documentário que vi na Tv, cada integrante treina 85% de prática ao longo da semana de maneira individual e coletiva. O resultado é um show de competência no abastecimento, troca de pneus e de alguma peça e/ou equipamento no carro ou do piloto quando necessário. 
 
Os 30% restantes de uma arbitragem considerada de boa qualidade, virão através da concentração total no jogo do quarteto e/ou sexteto de arbitragem – do conhecimento das regras e a devida interpretação e aplicação – da ótima preparação física, que irá proporcionar ao árbitro deslocar-se dentro das quatro linhas e obter o melhor ângulo de visão das jogadas. O mesmo vale aos assistentes que atuam fora do campo, a margem da linha lateral. E, por derradeiro, do equilíbrio diante das nuances que ocorrem num prelio de futebol. 
 
É óbvio que o árbitro na direção de um prelio tem diferentes atribuições e frações de segundos para: Observar, constatar e decidir se houve ou não infração as REGRAS DE FUTEBOL – e incontinenti, interpretá-las e aplicá-las de acordo com o preceituado no manual do (The IFAB). Agora, que a teoria está se sobrepondo a prática nas tomadas de decisões da arbitragem no atual Brasileirão, não resta a menor dúvida.

PS: O curso provido pela CONMEBOL em conjunto com a CBF à arbitragem da Seleção Nacional de Árbitros de Futebol (SENAF/CBF), em Águas de Lindóia (SP), na semana passada, não abordou a questão do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV) - ferramenta autorizada para experimento pelo (The IFAB), desde março de 2016. Tecnologia que vem sendo testada com a arbitragem dos EUA, Europa e Ásia. O que significa que apitos e bandeiras da CBF continuarão na contramão do desenvolvimento e na vanguarda do atraso.

DE PRIMEIRA - Sob a direção do secretário-geral adjunto da FIFA, Zvonimir Boban, o Painel Técnico Consultivo e membros do (The IFAB), estão reunidos desde a terça (12), até esta quarta (13), em Zurique, sede da FIFA. O objetivo é analisar uma série de situações em relação as REGRAS DE FUTEBOL e, PRINCIPALMENTE, os resultados do experimento do ÁRBITRO DE VÍDEO (AV), em diferentes competições em todo o planeta. Ficou estabelecido que a próxima reunião do aludido painel, será efetivada em Dubai (Emirados Árabes Unidos) – no dia 17 de dezembro deste ano.

ad argumentantum tantum - Enquanto o mundo desenvolvido do futebol, experimenta e discute o tema (AV) - a América do Sul, continua mergulhada no SUBDESENVOLVIMENTO em relação a indigitada tecnologia, incluso o futebol brasileiro. 

Clique no link a seguir e leia quais são os países que estão realizando efetivamente, o teste com o ÁRBITRO DE VÍDEO - http://theifab.com/projects/video-assistant-referees-vars-experiment?tab=3

Fonte: (The IFAB)